PF prende 50 acusados de fraudes contra a Previdência no ES

Objetivo da quadrilha era receber benefícios previdenciários de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez

Andréia Sadi, do estadao.com.br

24 de abril de 2008 | 12h54

A Polícia Federal no Espírito Santo realizou nesta quinta-feira, 24, a Operação Auxílio-Sufrágio, que desmontou uma quadrilha que cometia fraudes contra a Previdência Social. A Justiça Federal do Estado informou ao estadao.com.br que foi determinada a prisão temporária de 50 pessoas suspeitas de envolvimento nas fraudes. Serão cumpridos 59 mandados de busca e apreensão no Espírito Santo- expedidos no Tribunal  Regional Federal da 2º Região do Rio. O prejuízo para os cofres públicos chegou a R$ 5 milhões nos últimos seis meses. Entre os acusados estão servidores e médicos peritos do INSS, assessores parlamentares, despachantes previdenciários, além de médicos e funcionários de clínicas médicas particulares também fariam parte da quadrilha.   Segundo a PF, o objetivo da quadrilha era receber benefícios previdenciários de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez. As investigações mostram que o grupo tem a participação de um deputado estadual, perito médico licenciado do INSS, que já ocupou por mais de uma vez a cadeira de vereador do Município de Cariacica, região metropolitana da Grande Vitória (ES). A assessoria do órgão disse que há indícios de aproveitamento político-eleitoral por parte de alguns integrantes da quadrilha.   Um dos alvos dos mandados de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 2º Região é o deputado estadual capixaba Wolmar Campostrini (PDT), que é perito médico licenciado do INSS. A casa, a clínica e o gabinete do deputado foram vasculhados por agentes federais. Do gabinete na Assembléia Legislativa, foram levados seis discos rígidos de computadores.   (Com Alexandre Rodrigues, de O Estado de S.Paulo)     Texto atualizado às 13h10  

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Auxílio-Sufrágio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.