PF prende 78 por sonegação em frigoríficos

Cerca de 700 policiais federais deflagraram na manhã desta quinta-feira a Operação Grandes Lagos, com o objetivo de prender os participantes de um esquema de estelionato e sonegação fiscal em frigoríficos de várias partes do país. Até às 11h30, 78 pessoas foram presas, segundo informações da PF. Porém, há suspeitas de que mais de cem pessoas tenham sido detidas durante a manhã.Os policiais estão agindo principalmente nos municípios de Jales, Fernandópolis e São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. Segundo a PF, os agentes irão cumprir 109 mandados de prisão nos Estados de São Paulo, Goiás, Bahia, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais.Segundo a PF, a estrutura da organização criminosa é composta por 159 empresas, incluindo suas filiais, e 173 pessoas que já foram identificadas. As funções de cada um no grupo variam: há os "cabeças", os "laranjas", os "gerentes", os servidores públicos, os "facilitadores" e os "taxistas".As investigações foram iniciadas a partir de denúncias de um esquema de sonegação fiscal cometido por um grupo que atuaria na região há pelo menos quinze anos. Nem as empresas ou sócios possuíam qualquer patrimônio em seu nome para honrá-las, indícios de que as pessoas que constavam do quadro societário destas empresas eram apenas "laranjas", e que as empresas fiscalizadas haviam sido constituídas com a única finalidade de sonegar tributos.Na investigação, a Polícia Federal contou com a colaboração da Receita Federal e do Instituto Nacional de Seguro Social, ambos de São José de Rio Preto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.