PF prende fiscal da Receita por contrabando em aeroportos

Ele e mais cinco pessoas são acusados de receber mercadorias sem a incidência de impostos e revendê-las

Paulo R. Zulino e Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

26 de setembro de 2007 | 10h29

Seis pessoas foram presas na manhã desta quarta-feira, 26, acusadas de contrabando de mercadorias em aeroportos do País. A Polícia Federal deflagrou a Operação Minotauro e cumpre 16 mandados de busca e apreensão e seis de prisão em São Paulo, Guarulhos e Bebedouros, no interior de São Paulo, além de Rio de Janeiro e Belo Horizonte. No Rio de Janeiro, agentes da PF prenderam o empresário mineiro Agostinho Nogueira dos Santos. Na casa dele, em Belo Horizonte, a polícia apreendeu documentos. A operação tem participação da Receita Federal e os mandados de prisão foram dados pela 2ª Vara Federal de Guarulhos, mediante representação do Ministério Público Federal. A operação é resultado de mais de três meses de investigações. No período, foi descoberto que um fiscal da Receita recebia mercadorias importadas sem a incidência de impostos para que elas fossem vendidas no País. Em troca, o fiscal dava facilidades a uma importadora. Além do auditor, foram presos sua ex-mulher, que revendia as mercadorias retiradas do aeroporto no interior do Estado de São Paulo, funcionários responsáveis pelo depósito da loja em Guarulhos e um diretor da empresa. Eles devem ficar presos por cinco dias, quando vence a prisão temporária, e após esse prazo será avaliada a necessidade de convertê-las em prisões preventivas. Os presos responderão por crimes de facilitação de contrabando ou descaminho, corrupção ativa, corrupção passiva e formação de quadrilha, além de outros que forem comprovados até o fim das investigações. Texto alterado às 10h57 para acréscimo de informações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.