PF prende suspeitos de sonegar imposto no ES e Rio

Acusados de movimentar R$ 290 milhões nos últimos dez meses com sonegação de impostos e pagamento de propinas, empresários e funcionários do setor de rochas ornamentais e fiscais do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) foram presos hoje pela Polícia Federal (PF) no Espírito Santo e no Rio.A quadrilha é acusada de crimes ambientais, evasão de divisas, tráfico de influência, além de sonegação de tributos e corrupção ativa e passiva. Foram detidos 13 suspeitos, entre eles, o libanês Roland Feiertag, apontado como chefe do grupo. Policiais apreenderam 14 carros, armas sem registro, jóias e carimbos que teriam sido usados para a emissão de notas fiscais falsas. Os 125 policiais que participaram da Operação Monte Líbano cumpriram 22 mandados de buscas e apreensão expedidos pela 2ª Vara Criminal Federal de Cachoeiro de Itapemirim (ES), além dos 13 de prisão temporária, um deles na capital fluminense. Segundo a PF, o acusado preso no Rio havia deixado o Espírito Santo para assistir ao show da banda inglesa The Police, realizado no Estádio do Maracanã, no sábado. Seguido por policiais, ele foi preso na casa da sogra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.