Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

PF visita sede de empresa contratada pela Petrobras

Delegada tomou depoimento de 4 empregados de empresas relacionadas ao desaparecimento dos equipamentos

Marcelo Auler, da Agência Estado,

18 de fevereiro de 2008 | 17h40

Dois agentes da Polícia Federal estiveram na tarde desta segunda-feira, 18, na sede da transportadora Transmagno e da Halliburton, empresa americana contratada pela Petrobras para fazer testes nos campos de petróleo de Tupi e Júpiter, na bacia de Santos. Os policiais nada falaram sobre a conversa que tiveram com os diretores das respectivas empresas. Nem tampouco esses diretores serão convidados a prestar depoimentos.   Veja também:  Ministério vê fragilidade no transporte de dados da PetrobrasNa sede da Polícia Federal, em Macaé, a delegada Carla Dolinski tomou depoimento de quatro empregados de empresas relacionadas ao desaparecimento dos quatro notebooks e dois discos rígidos com informações sobre os poços recém-descobertos. Não foi prestada nenhuma informação à imprensa sobre a identidade dos funcionários ou mesmo as empresas às quais eles estão ligados.   Entenda o caso   Quatro computadores portáteis (notebooks) e dois discos rígidos com informações sigilosas da Petrobras desapareceram de um contêiner entre Santos (SP) e Macaé (região norte-fluminense). Os equipamentos pertenciam à Halliburton, companhia americana prestadora de serviços para o setor de petróleo.   De Santos ao Rio de Janeiro o transporte foi por navio, e do Rio a Macaé o contêiner seguiu de caminhão, pela transportadora rodoviária Transmagno, que tem sede em Macaé. O contêiner saiu de Santos em 18 de janeiro e chegou a Macaé 12 dias depois. Ficou no Porto do Rio durante uma semana. Em 31 de janeiro, quando funcionários da Halliburton foram abrir o contêiner, perceberam que o lacre havia sido violado.   Segundo as investigações, os ladrões chegaram a trocar o cadeado arrombado por um novo, para evitar suspeitas durante a viagem. O inquérito policial foi aberto em 7 de fevereiro.   A estatal não divulgou detalhes sobre o conteúdo dos arquivos, mas há indicações de que contenham dados estratégicos sobre as reservas gigantes de petróleo descobertas na Bacia de Santos.   A Halliburton foi contratada em agosto do ano passado para realizar serviços de teste de reservatórios descobertos no Brasil. O contrato, de US$ 270 milhões, inclui pesquisa em reservatórios de alta pressão e alta temperatura, condições semelhantes às encontradas nas reservas gigantes descobertas abaixo da camada de sal, que podem elevar o Brasil à condição de grande exportador de petróleo.   Com isso, a Halliburton ganha acesso a dados confidencias, sob o compromisso de não divulgá-los. A Petrobras informou que tem cópias integrais de todas as informações furtadas, mas, segundo especialistas, os dados poderiam ser usados por concorrentes na avaliação de outras jazidas do País.   Não se sabe ainda em que momento do transporte ocorreu o furto. Também não foi explicado por que os laptops estavam sendo transportados em um contêiner.

Tudo o que sabemos sobre:
Petrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.