Pfizer confirma plano de adquirir Pharmacia

A Pfizer Inc., maior empresa mundial de produtos farmacêuticos, confirmou planos de adquirir a Pharmacia Corp. por US$ 60 bilhões em ações, fornecendo à companhia plenos direitos ao Celebrex, medicamento que combate a artrite. Segundo os termos do acordo, a Pharmacia continuará com seus planos de cindir sua participação remanescente de 84% na Monsanto Co. Após a cisão, a Pfizer trocará 1,4 ação de suas ações ordinárias para cada ação da Pharmacia em circulação, em uma transação isenta de impostos avaliada em US$ 45,08 por ação da Pharmacia, com base no preço de fechamento de 12 de julho de US$ 32,20. Essa transação representa um prêmio de 44% com base nos preços médios de fechamento das duas ações dos últimos 30 dias, ajustados para a cisão de participação na Monsanto. Os acionistas da Pfizer deterão cerca de 77% da empresa combinada, enquanto os acionistas da Pharmacia terão os 23% restantes. O acordo deverá ser concluído até o final do ano, estando sujeito à aprovação dos acionistas de ambas as empresas, de órgãos governamentais e reguladores e de outras condições usuais de fechamento. As duas empresas estimam que a redução de custo decorrente da fusão será de US$ 1,4 bilhão em 2003, US$ 2,2 bilhões em 2004 e que alcançará US$ 2,5 bilhões em 2005. A nova empresa deverá apresentar uma receita combinada de US$ 48 bilhões, incluindo US$ 39 bilhões em vendas de receitas médicas e 12 produtos, com mais de US$ 1 bilhão em vendas anuais, cada produto. A Pfizer disse que a transação não afetará o seu lucro por ação em 2003, que estima-se crescerá 16%. Com base em projeção revisada para 2002 de lucro por ação de US$ 1,58, a Pfizer estima lucro por ação de US$ 1,83 em 2003, que fica abaixo do atual consenso dos analistas de lucro por ação de US$ 1,84 em 2003. A Pharmacia também confirmou que estima um lucro por ação no segundo trimestre de US$ 0,39 e no ano todo de US$ 1,52 a US$ 1,57 por ação. Os analistas prevêem que a Pharmacia lucre US$ 0,39 por ação no segundo trimestre e US$ 1,55 em 2002, de acordo com a Thomson First Call. A estimativa exclui a cisão de participação na Monsanto. As informações são da agência Dow Jones.

Agencia Estado,

15 de julho de 2002 | 12h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.