Pfizer planeja elevar oferta pela Astrazeneca

A fabricante de medicamentos norte-americana Pfizer está planejando elevar sua oferta pela AstraZeneca enquanto trabalha contra o relógio com seus assessores em uma batalha em que têm apenas oito dias para se mover de acordo com regras de aquisição britânicas.

BEN HIRSCHLER E ANJULI DAVIES, Reuters

18 de maio de 2014 | 16h51

Uma pessoa familiarizada com o assunto disse que a notícia de uma oferta melhor que os 106 bilhões de dólares rejeitados pela AstraZeneca em 2 de maio poderia ocorrer na segunda-feira de manhã. O Wall Street Journal informou que a Pfizer estava planejando apresentar uma oferta melhor no domingo.

A Pfizer ainda espera conseguir negociar com a AstraZeneca antes do prazo 26 de maio para fazer uma oferta formal ou desistir.

O grupo dos EUA quer criar a maior empresa de medicamentos do mundo, com uma sede em Nova York mas com base fiscal na Grã-Bretanha.

Se for rejeitada novamente, a Pfizer pode desistir, provocando uma forte queda no preço das ações da AstraZeneca, mas fontes disseram que a empresa não tinha descartado uma oferta hostil.

"Uma oferta hostil é a opção menos favorita, mas fazer a oferta direta aos acionistas é uma possibilidade ", disse uma fonte.

A oferta da Pfizer feita em 2 de maio era uma proposta em dinheiro e ações no valor de 50 libras por ação, mas o seu valor, desde então, caiu para cerca de 48 libras, refletindo a queda das ações da Pfizer.

Não ficou claro em quanto a proposta seria melhorada, mas a diferença dos dois lados em precificar a companhia foi descrita como "significativa" pelas fontes, sugerindo que a Pfizer teria que fazer um salto considerável no preço para cerca de 53 a 55 libras para garantir o negócio com a sua rival.

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASPFIZERASTRAZENECA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.