Philips anuncia prejuízo líquido de US$ 1,6 bi

A Royal Philips Electronics NV, maior fabricante de produtos eletrônicos da Europa, registrou um prejuízo líquido de 1,5 bilhão de euros (US$ 1,6 bilhão) no quarto trimestre de 2002, ante um prejuízo de 1,0 bilhão de euros em igual período do ano anterior. As vendas declinaram 4% em relação a mesmo período de 2001, devido principalmente à desvalorização do dólar norte-americano, o que exerceu um impacto negativo de 7%. O resultado do quarto trimestre inclui encargos relacionados com investimentos de 1,3 bilhão de euros (US$ 1,38 bilhão), sendo 921 milhões de euros (US$ 983,3 milhões) referentes à empresa francesa de serviços de computador Atos Origin e 275 milhões de euros (US$ 293,6 milhões) relativos à sua parceria sul-coreana LG Philips) e outros encargos especiais de 248 milhões de euros (US$ 264,7 milhões). Excluindo esses itens, o lucro líquido foi 58 milhões de euros (US$ 61,9 milhões) ante um prejuízo de 103 milhões de euros em 2001. Em todo o ano de 2002, a Philips teve um prejuízo líquido de 3,2 bilhões de euros (US$ 3,4 bilhões), em relação ao prejuízo de 2,5 bilhões de euros em 2001 e acima das estimativas dos analistas de um prejuízo de 2,4 bilhões de euros (US$ 2,5 bilhões). As vendas em 2002 caíram para 31,8 bilhões de euros (US$ 33,9 bilhões), de 32,3 bilhões de euros em 2001. O chairman da empresa, Gerard Kleisterlee, afirmou que a economia continua incerta e que a Philips continuará centrando-se sobre a redução de custos em 2003. A Philips está planejando 1 bilhão de euros (US$ 1,06 bilhão) em economia de custos até o final do ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.