Philips reduzirá 1.600 empregos em divisão médica

Empresa também vai reajustar preços para assegurar lucros se conjuntura econômica piorar

EFE,

22 de novembro de 2008 | 15h51

A empresa holandesa  Philips fará um corte de 1.600 empregos em sua  divisão de produtos médicos. O objetivo da companhia é assegurar sua margem de lucros, segundo informou neste sábado, 22, o porta-voz da empresa, Arent Jan Hesselink.   Ele afirmou que como havia sido anunciado há dois meses, a empresa vai reestruturar o seu setor médico e "isso im,plica na redução de empregos, que representa aproximadamente 5% de um total de 32 mil empregados".   Sobre as razões da reestruturação, ele explicou que a divisão médica funciona bem, mas que há uma preocuopação em manter a rentabilidade se a conjuntura econômica piorar.   A empresa não especificou os países em que serão feitos os cortes nos postos de trabalho, mas as divisões médicas estão localizadas na Holanda, Estados Unidos, Alemanha, Finlândia e Israel. A empresa holandesa também pretende reajustar os preços de alguns dos seus produtos médicos e reduzir gastos da divisão.

Tudo o que sabemos sobre:
crise financeiracortesempregosPhilips

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.