PIB americano é revisado em baixa, para 1,4%

A economia norte-americana cresceu em um ritmo mais lento do que o previsto no primeiro trimestre do ano. O Departamento do Comércio revisou em baixa o crescimento do PIB dos Estados Unidos no período de janeiro a março, indicando que a expansão foi de 1,4% e não de 1,9%, número anunciado na estimativa anterior. O crescimento de 1,4% ficou abaixo do previsto pelos economistas, que projetavam que a previsão anterior de expansão de 1,9% do PIB ficasse inalterada. O nível de acumulação de estoques por parte das empresas durante o trimestre foi revisado em forte baixa, para US$ 4,8 bilhões. A estimativa anterior do PIB havia considerado um acúmulo de U$ 13,2 bilhões de estoques. A formação de estoques é um dado importante, pois indica como as empresas estão se preparando para atender à demanda futura. Estoques menores indicam que as empresas estão mais contidas em relação a um horizonte melhor.As autoridades do Federal Reserve e os economistas, no entanto, estão mais otimistas, prevendo que o segundo semestre trará uma recuperação mais robusta da economia, após a incerteza da guerra do Iraque ter ficado no passado. As taxas hipotecárias baixas têm colocado mais dinheiro no bolso dos norte-americanos e a aprovação do pacote de US$ 350 bilhões de corte de impostos também deverá ter impacto na recuperação do consumo, a mola propulsora da economia dos EUA. Para completar, o Federal Reserve aliviou ontem as taxas básicas de juros da economia em 25 pontos-básicos, com o objetivo de continuar ajudando na melhora das condições econômicas. Foi o 13º corte desde 2001. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.