PIB britânico recua e põe país à beira da recessão

Economia do país encolheu 0,5% na comparação entre o terceiro e o segundo trimestre deste ano

Redação com AE e AP

24 Outubro 2008 | 07h52

A economia britânica encolheu pela primeira vez em 16 anos. O Produto Interno Bruto do terceiro trimestre do Reino Unido, divulgado nesta sexta-feira, 24, indica uma redução de 0,5% na produção de riquezas do país entre julho e setembro, comparado com o trimestre anterior. A queda foi maior do que o previsto por analistas, que trabalhavam com uma redução de 0,2%. Veja também: Consultor responde a dúvidas sobre crise   Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira  Dicionário da crise    Após o anúncio, as bolsas européias, que já estavam em baixa, ampliaram a queda. Frankfurt caía 9,65% por volta das 8h de Brasília. A Bolsa de Londres perdia 8,95%. Em Paris, o recuo era de 9,05%.   O PIB cresceu 0,3% no terceiro trimestre na comparação com igual período do ano passado, a taxa mais fraca de expansão nessa base de comparação em 16 anos. No segundo trimestre ante igual período de 2007, o crescimento foi de 1,5%. O índice coloca o Reino Unido à beira de uma recessão, que é definida tecnicamente por dois ou mais trimestres seguidos de contração econômica. No começo da semana o premiê britânico, Gordon Brown, disse que o país está no caminho da recessão. A notícia aumentou as especulações de que o Banco Central da Inglaterra corte a taxa de juros, atualmente em 4,5%. A debilidade econômica foi generalizada. A produção total do setor de serviços caiu 0,4% no terceiro trimestre ante o segundo, o maior recuo desde 1990. A produção da indústria de transformação cedeu 1,0%, maior declínio em quatro anos. O setor de construção encolheu 0,8%. Os gastos do governo, ao contrário, aumentaram 0,4%; não fosse isso, o PIB teria contraído 0,6%. Ásia

Mais conteúdo sobre:
reino unido recessão crise econômica

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.