coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

PIB cai mas tem o melhor resultado dos últimos trimestres

O produto interno bruto (PIB) brasileiro registrou queda de 0,73% no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. Apesar da queda, o PIB em bases anuais continuou positivo, com variação positiva de 0,29% em quatro trimestres do ano ? e foi o melhor resultado dos últimos quatro trimestres. Em 2001, o PIB aumentou 1,51% no fechado do ano. Os dados preliminares do PIB do primeiro trimestre de 2002 estão sendo divulgados hoje pelo IBGE.Considerando-se o primeiro trimestre deste ano em relação ao período imediatamente anterior (outubro-dezembro de 2001), o IBGE constatou melhoria na atividade econômica do País, com crescimento de 1,34% do PIB, após três trimestres seguidos de desempenho ruim. Este resultado de 1,34% é que foi o melhor dos últimos quatro trimestres. No último trimestre de 2001, por exemplo, o PIB medido a preços básicos ficou praticamente estável, com variação de 0,09%. No terceiro trimestre de 2001, o PIB registrou queda de 0,44%. No segundo, a queda havia sido de 1,38%. No primeiro trimestre de 2001, havia registrado crescimento de 1,17%. Na avaliação do IBGE, os setores que mais contribuíram para o crescimento do PIB no primeiro trimestre foram agropecuária (+4,36%) e servicos (+1,71%). Na indústria, houve declínio de 3,91%. Detalhamento por setorOs serviços industriais de utilidade pública (SIUP), com destaque para a energia elétrica, a construção civil, o comércio varejista e a indústria de transformação são os principais segmentos que estão derrubando a atividade econômica, conforme os dados divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pelos dados do IBGE, o PIB caiu 0,73% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, o setor de SIUP registrou queda de 12,2% no período, a construção civil caiu 8,9%, o comércio recuou 4,0% e a indústria teve queda de 2,0%. No mesmo período do ano passado, os quatro segmentos estavam em franca expansão, com taxas positivas de 3,6% e 4,3%, 4,5% e 5,7%, respectivamente. O setor de comunicações, com destaque para a telefonia, continua sendo o mais dinâmico da economia brasileira, apesar de ter registrado desaceleração na taxa de crescimento. No primeiro trimestre deste ano, o setor registrou expansão de 9,2%, abaixo dos 13,9% observados em igual período do ano passado. Também o setor extrativo mineral, com destaque para a indústria do petróleo, está em expansão, com aumento de 8,0% no primeiro trimestre (10,6% no ano passado). A agropecuária e "outros serviços", também estão com variação expressiva para os atuais padrões da economia nacional. A agropecuária cresceu 4,4% no primeiro trimestre deste ano (5,1% no primeiro trimestre de 2001) e o segmento de "outros serviços" teve avanço de 4,0% (3,0% no ano passado). A atividade de intermediação financeira (bancos) registrou desaceleração expressiva no primeiro trimestre do ano, apesar de ainda manter indicadores positivos. A expansão ficou em 0,6%, bem abaixo dos 2,6% registrados no ano passado. Também a administração pública está se expandindo menos, com aumento de 1,0% este ano e 1,6% no ano passado. A economia brasileira pode ter começado a se recuperar, diz IBGE. Leia os comentários dos técnicos sobre os dados do primeiro semestre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.