AP
AP

PIB chinês fecha 2016 com o menor avanço desde 1990

Avanço da economia foi de 6,7% ante os 6,9% do ano anterior; no quatro trimestre, crescimento chegou a 6,8%

O Estado de S.Paulo

20 de janeiro de 2017 | 09h20

PEQUIM - A economia chinesa cresceu 6,7% no ano passado em relação a 2015, quando o avanço foi de 6,9%. Em 2016, o ritmo de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da China foi o menor desde 1990, quando cresceu apenas 3,9%.

No quarto trimestre de 2016, o PIB acelerou levemente, impulsionado por medidas de estímulo do governo e pela robustez contínua do mercado imobiliário, segundo dados oficiais divulgados na madrugada desta sexta-feira. A economia avançou 6,8% em relação ao mesmo período do ano anterior, acelerando na comparação com o ganho de 6,7% no terceiro trimestre, de acordo com o Escritório Nacional de Estatísticas.

A desaceleração do ritmo de crescimento da segunda maior economia mundial faz parte dos planos do presidente Ji Xinping de fazer com que o PIB chinês seja sustentável, voltado mais para o consumo doméstico e menos para as exportações e os investimentos externos. A meta do governo é crescer 6,5% por ano. 

A produção industrial subiu 6,0% em dezembro ante o mesmo mês de 2015. Na comparação mensal, avançou 0,46% em dezembro ante um aumento de 0,51% em novembro. Em 2016, a atividade da indústria do país asiático avançou 6,0% ante um crescimento de 6,1% em 2015.

Os investimentos em ativos fixos urbanos da China aumentaram 8,1% no ano passado ante o ano anterior, desacelerando de um avanço de 8,3% verificado no período de janeiro a novembro. 

A alta do indicador da atividade das construtoras ficou abaixo da estimativa de economistas de ganho de 8,4%. Em 2015, o indicador subiu 10,0%. As vendas no varejo aumentaram 10,9% em dezembro ante o mesmo mês do ano anterior, acelerando levemente de um aumento de 10,8% em novembro. A leitura superou a previsão média de uma alta de 10,6% em dezembro.

 Ainda esta semana, o Fundo Monetário Internacional (FMI) revisou para cima o crescimento chinês em 2017 em 0,3 ponto porcentual para 6,5%.

Fórum. Em Davos, onde participou esta semana do Fórum Econômico Mundial, o presidente da China, Xi Jinping, defendeu vigorosamente a globalização e a abertura de mercados e reafirmou o compromisso chinês com a integração internacional por meio das trocas e do investimento. Qualificou como um acerto o ingresso de seu país na Organização Mundial do Comércio (OMC). 

Segundo Xi, o crescimento econômico chinês é produto da abertura econômica iniciada há 38 anos e da busca da integração no mercado internacional. Xi Jinping falou como um liberal, ao defender um regime de incentivo ao empreendimento e de recompensa dos esforços, mas em nenhum momento se referiu ao regime político ainda vigente em seu país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.