PIB comprova melhora da economia, diz Miguel Jorge

Ministro diz que resultado comprova o acerto das medidas do governo adotadas no início da crise

ANNE WARTH, Agencia Estado

11 de setembro de 2009 | 10h13

O ministro do Desenvolvimento, Industrial e Comércio Exterior (MDIC), Miguel Jorge, disse hoje que o crescimento de 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre, ante aos três primeiros meses do ano, já era um resultado esperado e que comprova a melhora consistente e sistemática da economia brasileira nos últimos meses. "Nós esperávamos realmente um crescimento. Isso comprova o acerto das medidas que o governo tem adotado desde o início da crise no ano passado", disse ele, antes de participar da comemoração dos 20 anos do Guia OESP Metal Mecânica e Eletrônica, no auditório do Grupo Estado, na capital paulista.

Veja também:

linkPIB cresce 1,9% no 2º tri e Brasil sai tecnicamente da recessão

video PIB mostra acerto das medidas do governo, diz ministro

linkBaixa do PIB no 1º semestre é a maior da série, diz IBGE

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise

 

Para o ministro, a divulgação de um resultado positivo do PIB do segundo trimestre em setembro, mês que marcou o início do auge da crise, com a quebra do banco norte-americano Lehman Brothers, no ano passado, é simbólica. "Comemoramos no mês o símbolo da volta efetiva do crescimento do País", afirmou. Miguel Jorge disse que sua expectativa para o crescimento do PIB para este ano é de alta de 1%. "Mas o mais importante é a tendência de crescimento a partir deste trimestre. Não só para o segundo semestre inteiro, como para o ano que vem", declarou. Para 2010, o ministro não fez uma previsão. "Eu gostaria de falar que é uma previsão, mas é um desejo de que fosse um crescimento de 5%".

Tudo o que sabemos sobre:
PIBMiguel Jorge

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.