PIB cresce 5,2% em 12 meses, a maior alta desde 2004

Expansão da economia em um ano até setembro está 1,4 ponto porcentual acima do PIB de 2006, de 3,8%

Jacqueline Farid e Adriana Chiarini, da Agência Estado,

12 de dezembro de 2007 | 09h05

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil cresceu 5,2% no acumulado em 12 meses até setembro, o maior resultado desde o terceiro trimestre de 2004, segundo dados divulgados nesta quarta-feira, 12, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. A variação está 1,4 ponto porcentual acima da expansão registrada em todo o ano de 2006, de 3,8%, segundo dados revisados do IBGE.  Veja também:Investimentos têm o maior crescimento desde 1996  A medida do crescimento do País   Até setembro deste ano, a alta do PIB foi de 5,3%, em relação ao mesmo período de 2006. A indústria cresceu 5,1%, enquanto os serviços se expandiram 4,7% e a agropecuária 4,3%.  A gerente de contas trimestrais do IBGE, Rebeca Palis, afirmou que o crescimento da economia neste ano está baseado sobretudo na demanda interna, com destaque para o aumento do consumo das famílias e dos investimentos. "Não temos um crescimento tão robusto desde 2004, mas as causas são diversas, já que em 2004 a economia foi impulsionada pelas exportações de bens e serviços, e agora o crescimento depende muito mais da demanda interna", disse. Segundo Rebeca, os resultados dos subsetores da economia, que mostram uma expansão generalizada no terceiro trimestre em todas as bases de comparação, confirmam que o crescimento "está espalhado, puxado pela demanda interna". Trimestre Só no terceiro trimestre, o crescimento, ante o ano passado foi de 5,7%, a maior desde o segundo trimestre de 2004. Na comparação com o 2º trimestre deste ano, a variação foi de 1,7%. Segundo Rebeca ela, o PIB do País está crescendo consecutivamente, na comparação com igual período do ano anterior, desde o primeiro trimestre de 2002. A agropecuária cresceu 7,2% no terceiro trimestre ante o segundo trimestre de 2007. A indústria cresceu 1,8% e os serviços 1,2% na mesma comparação. Em relação ao terceiro trimestre de 2006, a agropecuária se expandiu 9,2%; a indústria cresceu 5% e os serviços 4,8%. Consumo O consumo das famílias aumentou 1,5% ante o segundo trimestre e 6,0% ante o terceiro trimestre do ano passado. O dado, que tem peso de 60% no cálculo do PIB e cresce há 16 trimestres consecutivos, é um dos principais motores da expansão da economia. Segundo Rebeca, o aumento de 6% foi influenciado especialmente pelo aumento real da massa salarial (4,3% no terceiro tri de 2007 na comparação com igual período de 2006) e da expansão nominal de 30,4% do saldo de operações de crédito para pessoas físicas nesse período.  Já o consumo do governo registrou alta de 0,3% ante o trimestre imediatamente anterior e de 3,5% ante igual trimestre de 2006. Em números absolutos, o PIB do terceiro trimestre foi de R$ 645,2 bilhões. Os setores de agropecuária, indústria e serviços foram responsáveis por R$ 551,6 bilhões. Outros R$ 93,5 bilhões são referentes aos impostos. 

Tudo o que sabemos sobre:
PIB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.