PIB crescerá apenas 0,4% em 2003, admite Mantega

O ministro do Planejamento, Guido Mantega, disse hoje em São Paulo que o PIB deverá crescer entre 2,5% a 3% no último trimestre de 2003 em relação ao mesmo período de 2002. Ele admitiu, porém, que o ano deverá fechar com crescimento do PIB de apenas 0,4%. Antes, a projeção feita pelo Ministério indicava crescimento de 0,8%.Mantega justificou a revisão da projeção de crescimento da taxa por conta da revisão feita pelo IBGE em relação a 2002. "Se o IBGE não tivesse feito a revisão de 2002 de 1,5% para 1,9%, essa redução de 0,4 ponto porcentual não ia afetar a base de comparação?, afirmou. O ministro disse considerar, porém, que esse dado não é relevante. "Esses números olham para o passado e nós queremos olhar para frente. O PIB do último trimestre será muito mais positivo", assegurou.PerspectivasDe acordo com Mantega, a economia está se aquecendo e é possível que o País cresça 4% mantendo estabilidade constante em 2004. "Na LDO (Lei de D) colocamos como expectativa 3,5% de crescimento. É difícil acertar, mas o Brasil tem condições de crescer 4%, pois já criou condição de crescer de maneira sustentada. E essa melhora não terá de ser abortada por crise internacional ou choque de oferta", avaliou.O ministro esteve hoje na sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT), onde assumiu o compromisso de que nos próximos 15 dias os 1,8 milhão servidores federais ativos e inativos terão acesso a empréstimo, com juros mais baixos que os praticados pelo mercado, com desconto em folha de pagamento. Inicialmente, disse ele, a primeira instituição que disponibilizará recursos para os trabalhadores da União será o Banco do Brasil. "Depois, a Caixa Econômica Federal e, em seguida, procuraremos as demais instituições financeiras que não são bancos públicos", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.