PIB da Argentina cresceu 8,7% em 2007, diz Cristina Kirchner

Previsão de crescimento do governo era de 4%, enquanto instituições privadas esperavam 8,5%

Efe,

12 de fevereiro de 2008 | 02h58

A presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, antecipou nesta segunda-feira, 11, que o Produto Interno Bruto (PIB) do país cresceu 8,7% em 2007, mais que o dobro do previsto. "São números importantes, mas não são unicamente entradas de divisas. É um crescimento que começa a ser apalpado por todos os argentinos que voltaram a ter trabalho e a consumir", destacou a presidente durante um ato na província de Mendoza (oeste). Após concretizar um acordo tributário com o setor vinicultor, Cristina disse: "Talvez esteja se refletindo em Mendoza" o que foi "o modelo político, econômico, social e cultural que começou em maio de 2003" - quando seu marido e antecessor, Néstor Kirchner, assumiu a Presidência argentina. A presidente se referiu assim ao crescimento da atividade vinicultora do país, que, segundo disse, "superou o ano passado os US$ 650 milhões em exportações". "Tenho muita fé e esperança, porque os números da economia nos dizem que estamos diante de uma Argentina diferente, onde aprendemos que ninguém nos presenteia com nada", enfatizou. Para 2007, o governo esperava um crescimento do PIB de 4%, enquanto analistas de instituições privadas previam uma expansão da economia de 8,5%.

Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaCristina KirchnerPIB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.