EFE/EPA/Alex Plavevski
EFE/EPA/Alex Plavevski

PIB da China tem alta recorde de 18,3% no 1º trimestre, na comparação anual

Avanço é resultado da depressão induzida pela covid-19 no início de 2020; em relação ao quarto trimestre de 2020, porém, o crescimento foi de 0,6%

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2021 | 08h30
Atualizado 16 de abril de 2021 | 09h47

PEQUIM - O Produto Interno Bruto (PIB) da China avançou 18,3% no primeiro trimestre de 2021 em relação a igual período do ano anterior, informou o Escritório Nacional de Estatística do país (NBS, na sigla em inglês) nesta quinta-feira, 16. A taxa recorde de crescimento foi puxada pela depressão induzida pelo coronavírus no início de 2020. 

A expansão do PIB nos três primeiros meses do ano superou em muito a alta interanual registrada no último trimestre de 2020, de 6,5%. Mesmo assim, o resultado ficou abaixo da expectativa de economistas ouvidos pelo Wall Street Journal, que previam avanço de 19,2%.

Na margem, a economia chinesa registrou expansão de 0,6%. O resultado representa desaceleração em relação ao ritmo observado no quarto trimestre de 2020, quando houve crescimento de 2,6% nessa base. 

Analistas antecipavam um forte crescimento do PIB chinês na comparação com o primeiro trimestre de 2020, quando a economia do país sofreu uma contração recorde de 6,8% em meio às medidas de restrição adotadas para conter a propagação do coronavírus.  

Produção industrial de março 

A produção industrial da China avançou 14,1% em março em relação a igual mês do ano anterior, informou o Escritório Nacional de Estatística do país (NBS, na sigla em inglês) nesta quinta-feira. O resultado ficou abaixo da expectativa de economistas consultados pelo Wall Street Journal, que previam alta de 16,5% para o indicador.

O dado de março representou arrefecimento em relação à alta de 35,1% registrada na comparação anual no primeiro bimestre. Na margem, a produção industrial cresceu 0,6% no mês, também uma desaceleração em relação à alta de 0,69% observada em fevereiro ante janeiro. 

Varejo em março 

As vendas no varejo da China cresceram 34,2% em março em relação a igual mês de 2020, informou o Escritório Nacional de Estatística do país (NBS, na sigla em inglês) nesta quinta-feira. O resultado superou as expectativas de economistas ouvidos pelo Wall Street Journal, que esperavam avanço de 28%.

A expansão superou o ritmo registrado no primeiro bimestre do ano, quando as vendas tiveram alta de 33,8% na comparação interanual. Na margem, as vendas do varejo cresceram 1,75% em março, uma aceleração em relação à alta de 0,56% de fevereiro. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.