AFP PHOTO / GREG BAKER
AFP PHOTO / GREG BAKER

PIB da China tem menor crescimento em 28 anos

Economia chinesa cresceu 6,6% no ano passado, segundo dados de órgão oficial; índice é o pior desde 1990

Redação, O Estado de S. Paulo

21 de janeiro de 2019 | 00h22

O PIB chinês cresceu 6,6% ao longo de 2018, revelou o Birô Nacional de Estatísticas na madrugada de hoje. Com isso, o país asiático tem seu menor índice de crescimento no PIB em 28 anos. No quatro trimestre do ano passado, o PIB da China cresceu 6,4% na comparação com o mesmo período de 2017 – no terceiro trimestre de 2018, a alta havia sido de 6,5%. O número está em linha com as previsões feitas pelo jornal americano Wall Street Journal com 13 economistas na última semana. 

No ano passado, o PIB chinês teve crescimento de 6,8%, apontaram estatísticas revisadas pelo órgão oficial do país asiático na semana passada. Além disso, o Birô Nacional de Estatísticas também revelou que a produção industrial do país subiu 5,7% em dezembro, na comparação com o mesmo mês de 2017. 

As estatísticas chinesas surgem em meio a um momento em que há redução de demanda no mercado interno e uma guerra comercial por tarifas com os Estados Unidos. Para o mercado, o índice adiciona pressão para que Pequim lance mão de medidas para prevenir desaceleração nos próximos momentos. 

Além disso, há receio de que fraquezas na China – que gerou um terço do crescimento econômico global na última década – possam desencadear uma recessão global e afetar os lucros de algumas das principais empresas do planeta. No início do mês, a Apple viu suas ações terem grande queda depois de ter baixas vendas no país asiático. Grandes montadoras também podem ser afetadas, bem como empresas que fabricam bens na China e os exportam para o resto do mundo. 

Previsão. Mesmo que medidas de estímulo à economia sejam tomadas por Pequim, elas devem demorar para causar efeito. Por conta disso, a previsão de analistas é de que a China tenha um crescimento do PIB ainda menor neste ano, na casa de 6,3%. 

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.