Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters

Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

PIB da zona do euro cresce 12,7% no terceiro trimestre

Resultado ficou acima do esperado; na Alemanha, atividade econômica teve avanço recorde de 8,2%

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2020 | 08h59

O Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro cresceu 12,7% no terceiro trimestre de 2020 ante o segundo, de acordo com dados preliminares divulgados nesta sexta-feira, 30, pela agência oficial de estatísticas da União Europeia, a Eurostat. O resultado superou a expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam avanço de 9,4% no período. 

Na comparação anual, o PIB do bloco sofreu contração de 4,3% entre julho e setembro, bem menor do que a queda de 7% projetada pelo mercado.

No segundo trimestre, o PIB da zona do euro teve retração de 11,8% ante os três meses anteriores, diante dos efeitos da pandemia do novo coronavírus. 

Segundo a Eurostat, os preços ao consumidor continuaram a cair em outubro, registrando recuo de 0,3%, pressionados pela queda dos custos de energia (-8,4%) e apesar dos preços mais altos dos alimentos (4,3%).

Crescimento na Alemanha

A Alemanha registrou avanço recorde de 8,2% no PIB do terceiro trimestre, segundo a Agência Federal de Estatísticas. O salto da produção entre julho e setembro foi o maior desde que a agência começou a coletar os dados de crescimento trimestral, em 1970, e veio mais forte do que a alta de 7,3% esperada por analistas consultados pela agência de notícias Reuters.

No segundo trimestre a economia da Alemanha havia recuado 10%, uma vez que os gastos das famílias, os investimentos das empresas e o comércio entraram em colapso durante a primeira onda da pandemia.

Agora, a recuperação acima do esperado foi impulsionada por consumo privado mais alto, recuperação do investimento em equipamentos e exportações fortes, disse a agência de estatísticas. / Agências internacionais 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.