Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

PIB de Portugal se contrairá mais, diz Fitch; metas estão comprometidas

Fitch Ratings disse que a economia de Portugal vai encolher 3,7% este ano, acima dos 3,3% estimados pelo governo e dos 3% previstos em novembro

Patrícia Braga,

27 de março de 2012 | 17h37

LISBOA - A Fitch Ratings afirmou nesta quinta-feira, 27, que a economia de Portugal vai se contrair mais do que o esperado em novembro, e chamou os riscos de derrapada na meta do déficit de "amplos".

A agência disse que a economia de Portugal vai encolher 3,7% este ano, acima dos 3,3% estimados pelo governo e dos 3% previstos em novembro, quando a classificação para a dívida soberana do país caiu para a faixa de menor qualidade. No relatório divulgado hoje, a Fitch afirmou que novos rebaixamentos são possíveis se a economia piorar.

"A Fitch vê probabilidades significativas de novas medidas de consolidação serem necessárias em 2012."

A Agência informou que o governo de Portugal está claramente comprometido com o programa de resgate de € 78 bilhões, o que ficou claro na redução do déficit em conta corrente de 10% do PIB em 2010 para 7,5% no ano passado.

Entretanto, a Fitch disse que a dívida externa líquida continua elevada em acima de 80% do PIB em 2011. Além disso, a dívida pública tem aumentado e deve atingir um pico de 116% do PIB no final do próximo ano.

Em um relatório separado, a agência informou que este ano será pesado para os bancos domésticos, porque eles vão precisar de recapitalização enquanto enfrentam pressão nos lucros e deterioração no portfólio de crédito. "Acom a economia portuguesa entrando em recessão profunda em 2012 e os empréstimos em contração, a proporção de empréstimos dos bancos ficarão se deteriorará ainda mais", afirmou a Fitch.

"O perfil de risco de crédito dessas instituições também continuara em risco devido à exposição aos países da periferia da União Europeia, principalmente Portugal e Grécia."

Os bancos de Portugal têm como acessar uma linha de € 12 bilhões fora do resgate de € 78 bilhões para suas necessidade de recapitalização, algo que a Fitch acredita ser provável. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.