PIB do Reino Unido aponta maior expansão em 9 anos

A economia do Reino Unido cresceu no ritmo mais rápido em nove anos no segundo trimestre de 2010, segundo informou hoje o Escritório para Estatísticas Nacionais (ONS, na sigla em inglês). A revisão do Produto Interno Bruto (PIB) britânico confirmou a expansão de 1,2% em relação ao primeiro trimestre deste ano e de 1,7% ante o segundo trimestre do ano passado. O resultado ficou em linha com a estimativa dos economistas.

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

28 de setembro de 2010 | 07h56

Os dados também mostraram que a taxa de poupança das famílias caiu de 5,5% no primeiro trimestre para 3,2% no segundo trimestre. Esta é a taxa mais baixa desde o terceiro trimestre de 2008. A produção do setor de construção cresceu no ritmo mais rápido desde 1963 no segundo trimestre, com alta de 9,5% em relação ao primeiro trimestre, quando havia caído 0,8%. Do lado da demanda, os gastos do consumidor subiram 0,7%, depois da leitura estável no primeiro trimestre, enquanto os gastos do governo aumentaram 1,0%, mais que o ganho de 0,7% do período anterior.

Embora o ONS tenha dito que o restabelecimento de estoques das empresas contribuiu com 0,9 ponto porcentual para a produção no segundo trimestre, um ganho mais forte foi visto no investimento das empresas, que foi revisado em alta para crescimento de 0,7% no segundo trimestre, como resultado de gastos do governo e de construção. Originalmente, esse dado havia sido calculado em queda de 1,6%.

No entanto, a Formação Bruta de Capital Fixo - uma medida de investimento público e privado em imóveis e equipamentos - aumentou apenas 0,2% no segundo trimestre, menos que a alta de 0,4% vista no primeiro trimestre. O ONS informou ainda que a produção no ano passado teve contração maior que a calculada anteriormente, de 5,0%. Isso significa que a recessão, que começou no segundo trimestre de 2008 e terminou no terceiro trimestre de 2009, cortou 6,5% da produção. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
PIBReino Unidoexpansãoeconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.