PIB do Reino Unido cresce 0,4%

A economia britânica cresceu 0,4% no último trimestre de 2002, na comparação com o terceiro trimestre, e expandiu-se 2,1%, ante o período de outubro a dezembro de 2001, de acorco com dados finais divulgados pelo Escritório Nacional de Estatísticas. O dado anualizado do quarto trimestre foi revisado em baixa, ante a estimativa anterior que tinha apontado crescimento de 2,2% sobre o mesmo período de 2001. Segundo o escritório, a revisão em baixa deveu-se ao movimento menor em hotéis e restaurantes. O escritório identificou aumento de 1,3% dos gastos domésticos brutos no quarto trimestre, ante o terceiro trimestre. As despesas domésticas aumentaram 1%, com os consumidores ampliando as compras de bens eletrônicos, como televisores e celulares. Mas não foram apenas os consumidores que aumentaram seus desembolsos. O governo gastou 0,8% a mais no trimestre, ante o terceiro trimestre de 2002.EspanhaO crescimento da demanda doméstica serviu de pilar para que a economia espanhola registrasse uma expansão de 0,3% no quarto trimestre de 2002, ante o período de julho a setembro, e de 2,1%, ante o mesmo trimestre de 2001, comforme dados dos Instituto Nacional de Estatísticas. Os números confirmaram as estimativas dos cinco economistas consultados pela Dow Jones Newswires. No terceiro trimestre, a expansão da economia espanhola foi de 0,8%, ante os três meses anteriores, e de 1,8% ante o mesmo período de 2001. A demanda doméstica cresceu 2,7% no quarto trimestre, após um crescimento de 1,9% no terceiro trimestre. A demanda externa continuou a decepcionar, ao diminuir 0,6%. AlemanhaO Produto Interno Bruto da Alemanha ficou estagnado no quarto trimestre de 2002, na comparação com o trimestre precedente, quando cresceu 0,3%. Ante o quarto trimestre de 2001, a expansão foi de 0,5%. O Escritório Federal de Estatísticas, no entanto, colocou um sinal de menos antes do 0,0% em seu relatório, explicando que houve uma leve contração, mas que ela não chegou a trazer o porcentual para -0,1%. Os analistas previam que o PIB alemão mostrasse desaceleração de 0,1%. Variações porcentuais à parte, o dado evidenciou que a economia alemã não tem conseguido se recuperar desde osegundo semestre de 2001. Internamente, os gastos com consumo tiveram um crescimento marginal de 0,1% no quarto trimestre, abaixo do aumento de 0,4% observado no terceiro trimestre. As exportações, que vinham servindo de motor para a economia alemã, perderam força e cresceram apenas 0,3% no último trimestre de 2002, bem abaixo da expansão de 2,9% observada no período de julho a setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.