Tolga Akmen/AFP
Tolga Akmen/AFP

PIB do Reino Unido tem queda recorde de 20,4% no segundo trimestre

Com o segundo recuo trimestral, a sexta maior economia do mundo entrou em recessão; o banco central britânico, prevê que a atividade econômica só vai voltar ao nível pré-pandemia no terceiro trimestre de 2021

Reuters

12 de agosto de 2020 | 15h39

LONDRES - A economia britânica registrou queda recorde de 20,4% no segundo trimestre de 2020, quando as paralisações devido ao coronavírus foram mais duras, na maior contração já informada por qualquer grande economia até agora.

Dados oficiais publicados nesta quarta-feira, 12, também mostraram que a sexta maior economia do mundo entrou em recessão, já que encolheu pelo segundo trimestre seguido.

Houve sinais de recuperação no mês de junho, quando a produção cresceu 8,7% em relação a maio, disse a Agência Nacional de Estatísticas, pouco acima da expectativa de alta de 8% em pesquisa da Reuters.

O tamanho do impacto sobre o Produto Interno Bruto (PIB) pode retomar as questões sobre a maneira como o primeiro-ministro Boris Johnson lida com a pandemia de covid-19.

“A recessão provocada pela pandemia de coronavírus levou à maior queda no PIB trimestral já registrada”, disse Jonathan Atho, da agência de estatísticas do Reino Unido. “A economia começou a se recuperar em junho... Apesar disso, o PIB em junho ainda permanece um sexto abaixo de seu nível em fevereiro, antes do vírus.”

Na semana passada, o banco central britânico projetou que a economia só deve voltar o nível pré-pandemia no último trimestre de 2021, e alertou que o desemprego deve aumentar com força.

A queda do PIB no segundo trimestre ficou quase exatamente em linha com a expectativa dos economistas em pesquisa da agência de notícias Reuters e superou o recuo de 12,1% na zona do euro e a queda de 9,5% na comparação trimestral nos Estados Unidos.

NO primeiro trimestre do ano, o PIB britânico havia encolhido 2,2%, refletindo as paralisações que começaram em 24 de março.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.