coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

PIB do Rio pode chegar a R$ 262 bilhões em 2015

A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) apresentou nesta terça-feira o Mapa de Desenvolvimento, plano que contém 119 propostas para melhoras em diversas áreas do Estado, como saúde, economia, educação, e segurança pública. De acordo com o assessor adjunto da Assessoria de Pesquisas Econômicas da Firjan, Cristiano Prado, se forem realizadas todas as medidas propostas pelo mapa, em um ambiente no qual o Brasil efetue as reformas necessárias e o Produto Interno Bruto (PIB) do País tenha evolução conforme estudo da Goldman Sachs para o Brasil, Rússia, Índia e China (BRIC), o PIB do Rio poderia passar de R$ 167 bilhões em 2004 (dado mais recente) para R$ 262 bilhões em 2015. Isso representaria um acréscimo de 1.078.927 em número de empregos no período. Segundo o presidente da Firjan, Eduardo Eugênio, a elaboração do mapa foi iniciada há dez meses, e contou com a participação de mais de mil pessoas, entre empresários, especialistas de diversos setores e representantes do poder público. O mapa identifica 13 temas estratégicos, que seriam atingidos por meio de 119 ações. Os temas abordados pelo documento são: liderança empresarial e política; gestão pública eficiente; ambientes institucional e regulatório; educação e saúde; segurança e combate à criminalidade; infra-estrutura e logística; financiamento; competitividade empresarial; interiorização e arranjos produtivos locais; exportação de produtos e serviços; segmentos "âncora" para o desenvolvimento do estado (como petróleo) e projeções para 2015. Proposta políticaVieira pretende mostrar o mapa para todos os candidatos ao governo do Estado do Rio. "Além disso, tanto o candidato Geraldo Alckmin quanto o presidente Lula estão analisando a data mais adequada virem aqui antes das eleições, visto que muitas das medidas que estão dependem do governo federal", acrescentou.Entre os objetivos do documento, está o aumento de participação do Rio nos investimentos federais, dos atuais 3,9% para até 8%, nos próximos dez anos. O diretor Operacional Corporativo do Sistema Firjan, Augusto Franco Alencar, considerou que nem todo montante da arrecadação de um Estado volta em forma de investimento federal. Entretanto, "quando se compara o Rio com outros estados equivalentes em termos de riqueza, como é o caso de Minas Gerais, percebe-se que Minas recebe o dobro, e em alguns anos até mesmo o triplo do que o Rio de Janeiro". Para Alencar, a elaboração do documento pode ser um instrumento importante para a mobilização do empresariado fluminense em modificar essa situação. "Creio que nós não temos sabido defender os interesses do estado de maneira articulada". O lançamento oficial do mapa será na quarta-feira, no Teatro Municipal do Rio, e contará com a presença dos principais candidatos ao governo do estado, de acordo com o presidente da Firjan.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.