PIB do segundo trimestre cai 1,6% em relação ao primeiro

O Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre do ano caiu 1,6% ante o trimestre anterior, com ajuste sazonal, segundo divulgou hoje o IBGE. A queda consecutiva em dois trimestres (no primeiro trimestre de 2003, houve redução de 0,6%, ante trimestre anterior), configura para alguns economistas uma recessão técnica. O IBGE revisou o dado da variação do PIB no primeiro trimestre deste ano, ante o último trimestre do ano passado, de -0,1% divulgado anteriormente, para -0,6%. O IBGE revisou também o resultado nessa base de comparação do PIB do quarto trimestre de 2002, que apresentou, na nova divulgação, variação zero ante um crescimento de 0,7% na divulgação anterior.O coordenador das contas nacionais do IBGE, Roberto Olinto, adiantou, antes da entrevista coletiva que concederia em seguida, que, para ele, a recessão supostamente indicada pela queda do PIB em dois trimestres consecutivos "não é um conceito econômico formal e, portanto, o IBGE não se manifesta". Queda ante o segundo trimestre de 2002 é de 1,4% O PIB do segundo trimestre caiu 1,4% ante igual trimestre de 2002. No primeiro semestre deste ano, houve aumento de 0,3%, ante igual semestre do ano passado, com crescimento de 5,7% na agropecuária e de 0,4% nos serviços, além de queda de 0,5% na indústria, puxada especialmente pela construção civil (-6,5%). No acumulado dos últimos quatro trimestres, o PIB apresentou crescimento de 1,6%. Indústria puxa queda A queda de 1,6% no PIB do segundo trimestre ante o primeiro trimestre deste ano foi puxada especialmente pela retração da indústria (-3,7%), que apresentou a segunda queda consecutiva nessa base de compração, após uma retração de 2,4% no primerio trimestre. Os demais setores também apresentaram redução, ocorrendo queda de 1,2% na agropecuária, após uma expansão de 3,9%, no primerio trimestre e uma redução de 0,3% em serviços, após queda similar ocorrida no primeiro trimestre, sempre na comparação com o trimestre inmediatamente anterior com ajuste sazonal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.