carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

PIB do segundo trimestre deve vir com alta de 1,1%, diz Credit Suisse

Será divulgado amanhã o resultado do PIB brasileiro no segundo trimestre do ano. A expectativa dos analistas do banco Credit Suisse é de que tenha havido um crescimento de 1,1% em relação ao primeiro trimestre e de 6,1% ante o segundo trimestre de 2006, graças a uma aceleração da agropecuária e da indústria, contrabalançada com desaceleração nos serviços.As colheitas de cana-de-açúcar, soja e milho e o abate de aves foram, segundo Nilson Teixeira, economista-chefe do banco, os principais responsáveis pela projeção de aceleração da agropecuária, que deve registrar um crescimento próximo de 5,7% ante o primeiro trimestre, com ajuste sazonal. Já a alta do PIB industrial deve chegar a 1,4% no período, ante 0,2% no primeiro trimestre. Esse bom desempenho da produção da indústria se deve basicamente, segundo Teixeira, à exportação de commodities - sobretudo os processadores da safra agrícola -, aos investimentos - com destaque para a produção de bens de capital e construção civil - e também ao consumo doméstico. Mais importante. Esses crescimento deve ter se transmitido para o setor de serviços correlatos, como transporte de carga, serviços prestados às empresas e comércio atacadista.Mas por que o setor de serviços desacelerou? ''''Acreditamos que o desempenho tenha sido puxado para baixo principalmente pela administração pública, comunicações e atividades imobiliárias, com destaque para os aluguéis'''', diz Teixeira. Na administração pública, a redução teria sido causada pela queda das matrículas nas escolas públicas e pelo menor crescimento do pessoal ocupado nos governos. Em sentido oposto, esperam aceleração do comércio varejista, serviços prestados às empresas e transporte de carga.Caso se confirme um desempenho mais forte da indústria de transformação e das atividades correlatas a esse setor, eleva-se significativamente, segundo o Credit Suisse, o risco de uma revisão, para cima, da sua previsão de 4,7% de alta do PIB para o ano.IMPRESSÃO DIGITAL Em recente palestra para os bolsistas latino-americanos da Cátedra Memorial da América Latina, o professor José Goldemberg fez um alerta: ''''A ação do homem no planeta já é comparável à ação exercida pelas forças naturais.'''' E explicou, didaticamente. Existem hoje 6 bilhões de pessoas na Terra e cada uma consome, em média, oito toneladas de recursos minerais por ano. Há um século, a população era de 1,5 bilhão e o consumo, menor do que 2 toneladas per capita. Logo, o impacto total hoje é 16 vezes maior, de 48 bilhões de toneladas por ano.E quanto movimentam as forças naturais? Segundo Goldemberg, 50 bilhões de toneladas também por ano...BNDESINHO?Está criada a Agência Paulista de Fomento.O decreto saiu publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo, no sábado, mas sua operação, estima o secretário Alberto Goldman, deve se iniciar somente no primeiro semestre do próximo ano. Ela nasce com capital ativo inicial de R$ 1 bilhão e foco na pequena e média empresa. ''''Não pretendemos substituir o BNDES .''''SUSPENSEEmpresariado em estado de alerta. A Câmara pode votar hoje a MP do Sacoleiro, que cria o Regime Unificado de Tributação para a importação de mercadorias do Paraguai, por via terrestre.E o relator andou dizendo, em conversas pelo Congresso, que pretende reduzir a alíquota de 42,2% para 25,8%. E aumentar de R$ 300 para R$ 15 mil por pessoa o limite máximo de compras ao mês.BOA NOTÍCIAAs exportações de carne suína registraram um aumento de 44% em agosto, em relação a agosto de 2006.Puxadas, sobretudo, pela reabertura do mercado russo à carne produzida no Rio Grande do Sul e em Mato Grosso.QUEM AVISA AMIGO ÉOs técnicos russos que estão no País, avaliando o sistema brasileiro de produção de carnes, vão fazer visitas-surpresa a laboratórios, fazendas e frigoríficos nos próximos vinte dias.Nos Estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Paraná, Ceará e Pernambuco.RECAUCHUTAGEMNa esteira da retomada da indústria bélica brasileira, há um negócio milionário de revitalização de mil a dois mil blindados da antiga Engesa espalhados por 32 países do mundo, ao custo de R$ 300 mil por unidade.Há dois grupos interessados no negócio.SECURAFaz 100 dias que não chove em Brasília.Para se precaver da seca, o Superior Tribunal de Justiça gastou R$ 8 mil na compra de 49 umidificadores de ar.24 HORASEnquanto os mercados internacionais andaram meio de lado ontem, os mercados nacionais passaram o dia acertando os ponteiros do feriado de 7 de Setembro, quando as bolsas lá fora despencaram em conseqüência da queda do número de empregos nos EUA.Resultado: o Ibovespa chegou a cair 4,12%, antes de fechar com queda de 3,51%.

sonia.racy@grupoestado.com.br, O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.