REUTERS/Larry Downing
REUTERS/Larry Downing

PIB dos Estados Unidos cresce 3,5% no terceiro trimestre, à taxa anualizada

O crescimento da economia foi ajudado pelo forte avanço nos gastos do consumidor americano

Victor Rezende e Niviane Magalhães, O Estado de S.Paulo

26 Outubro 2018 | 10h08

O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos cresceu à taxa anualizada de 3,5% no terceiro trimestre em relação aos três meses imediatamente anteriores, de acordo com a primeira estimativa do indicador, publicada nesta sexta-feira, 26, pelo Departamento do Comércio. O número mostrou desaceleração em relação à expansão anualizada de 4,2% mostrada no segundo trimestre, mas o crescimento da economia foi ajudado pelo forte avanço nos gastos do consumidor americano.

O PIB veio dentro do intervalo das estimativas de 45 instituições financeiras consultadas pelo Estadão/Broadcast, que previam crescimento entre 2,8% e 4,2%, e acima da mediana das projeções, que apontava para expansão de 3,4% entre julho e setembro em base anualizada na comparação com o segundo trimestre.

Os gastos do consumidor, que representam mais de dois terços de todo o PIB americano, subiram a uma taxa anualizada de 4,0% no terceiro trimestre em relação ao período entre abril e junho, o nível de crescimento mais forte em quase quatro anos. A baixa taxa de desemprego, o crescimento dos empregos e dos salários e os cortes nos impostos aprovados no fim de 2017 incentivaram os gastos dos consumidores. As exportações diminuíram no terceiro trimestre, caindo a uma taxa anualizada de 3,5%, em meio a ventos contrários do comércio global, enquanto as importações subiram 9,1%.

O investimento das empresas também se mostrou fraco, com os investimentos fixos não residenciais refletindo gastos em construção comercial, equipamentos e produtos de propriedade intelectual, aumentando 0,8% no terceiro trimestre, após subirem a uma taxa anualizada de 8,7% no segundo trimestre.

O setor de habitação, contudo, foi um obstáculo ao crescimento pelo terceiro trimestre consecutivo. O investimento fixo residencial caiu 4,0% entre julho e setembro, refletindo o aumento das taxas de juros de curto prazo, baixo estoque de imóveis e mudanças no código tributário.

Inflação

O índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) avançou a uma taxa anualizada de 1,6% no terceiro trimestre, após ajustes sazonais, informou nesta sexta-feira o Departamento do Comércio. Esta é primeira leitura do dado.

No segundo trimestre de 2018, o PCE subiu à taxa anualizada de 2,0%. No primeiro trimestre, valor foi de 2,5%.

O núcleo do PCE, que exclui itens voláteis como alimentos e energia, também teve alta de 1,6% no terceiro trimestre. No segundo trimestre, o núcleo avançou 2,1%.

O PCE é a medida preferida de inflação do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) e é um elemento importante para as tomadas de decisão sobre a política monetária no país. /COM DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.