PIB dos EUA cresceu 3,1% no terceiro trimestre

O Departamento do Comércio informou que o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA cresceu a uma taxa anualizada de 3,1% no terceiro trimestre, de acordo com a primeira estimativa. O desempenho da economia superou o ritmo de crescimento de 1,3% registrado no segundo trimestre, mas ficou abaixo da expansão de 5% observada nos três primeiros meses deste ano. O dado do terceiro trimestre ficou também abaixo do esperado pelos economistas. A previsão média de 18 economistas consultados pela agência Dow Jones era de crescimento do PIB de 3,5% no terceiro trimestre.O levantamento mostrou que os gastos dos consumidores tiveram contribuição significativa para a expansão da economia neste terceiro trimestre, enquanto os gastos das empresas apresentaram a primeira melhora desde o terceiro trimestre de 2000, embora tenham permanecido fracos. Os gastos com consumo, medido pelas despesas pessoais, aumentaram 4,2% no terceiro trimestre, após crescerem 1,8% no segundo trimestre. O crescimento foi impulsionado pelas vendas fortes de automóveis durante o trimestre, que estão incluídas no salto de 22,7% das vendas de bens duráveis. As vendas de bens duráveis subiram 1,3%.Gastos das empresas reagem após sete trimestresOs gastos das empresas, ou investimentos não-residenciais, tiveram uma expansão de 0,6%, após terem declinado nos últimos sete trimestres. Dentro dessa categoria, observou-se que os gastos com computadores e equipamentos aumentaram pelo segundo trimestre consecutivo. As despesas das empresas com esses produtos subiram 6,5%, bem acima do crescimento de 3,3% do segundo trimestre. As despesas das empresas com estrutura continuaram em espiral negativa, recuando 16% durante o trimestre, após um recuo de 17,6% no segundo trimestre.O relatório revelou ainda que o índice de preços com consumo pessoal, um dado monitorado com atenção pelas autoridades monetárias do Federal Reserve, aumentou 1,9% no trimestre, abaixo da alta de 2,7% do segundo trimestre.Custo da mão-de-obra aumenta 0,8%As empresas norte-americanas tiveram um pequeno aumento nos seus custos de contratação e manutenção dos seus funcionários contratados no terceiro trimestre do ano, mostrando que os riscos de inflação vindas do mercado de trabalho seguem controlados. O Departamento do Trabalho dos EUA informou que seu índice de custo do emprego subiu 0,8% de junho a setembro, abaixo da alta de 1% registrada nos três meses anteriores.O aumento do custo também foi inferior a alta de 0,9% prevista por economistas. A desaceleração da alta foi motivada pelo fato de os aumentos de salários e rendimentos concedidos terem sido os mais moderados em três anos. Na comparação com o ano passado, os custos com compensação cresceram 3,7%, no menor ritmo em quase três anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.