PIB dos EUA no 2º trimestre é revisado para contração de 0,7%

Gastos dos consumidores norte-americanos, maior componente do indicador, caíram 0,9% no período

Marcílio Souza e Nathália Ferreira, da Agência Estado,

30 de setembro de 2009 | 10h46

O PIB dos EUA no segundo trimestre deste ano foi revisado de queda de 1,0% para contração de 0,7%, de acordo com dados finais divulgados pelo Departamento de Comércio nesta quarta-feira, 30. A previsão média de analistas era de revisão para queda de 1,2%. O declínio de 0,7% da atividade no segundo trimestre foi bem menor que a contração de 5,4% registrada no quarto trimestre do ano passado e a de 6,4% apresentada no primeiro trimestre deste ano.

 

Consumo

 

Os gastos dos consumidores, maior componente do Produto Interno Bruto dos EUA, caíram 0,9% no segundo trimestre, menos do que a estimativa anterior de queda de 1,0%, informou o Departamento do Comércio em sua leitura final sobre o período de abril a junho. No primeiro trimestre, os gastos diminuíram 0,6%.

 

O componente do PIB que inclui gastos com imóveis recuou 23,3% no segundo trimestre, dado revisado em relação à estimativa anterior de queda de 22,8% e menor que o declínio de 38,2% no primeiro trimestre. Os gastos das empresas foram revisados para queda de 9,6% no segundo trimestre, contra declínio de 10,9% divulgado anteriormente. O investimento em estruturas diminuiu 17,3%, enquanto que em equipamentos e softwares recuou 4,9%. A estimativa anterior era de queda de 8,4% no investimento em equipamentos e softwares.

 

Os gastos do governo federal aumentaram 11,4%, dado revisado frente à estimativa anterior de alta de 11,0%. As despesas dos governos locais e estatais subiram 3,9% no segundo trimestre. As exportações dos EUA no período de abril a junho caíram 4,1%, ante queda de 5,0% divulgada anteriormente. As importações foram revisadas para declínio de 14,7%, de recuo de 15,1%.As vendas finais reais - PIB menos mudança nos estoques privados - aumentaram 0,7%, superando a estimativa anterior de alta de 0,4%. No primeiro trimestre, as vendas reais caíram 4,1%. Os lucros corporativos após tributos foram revisados para alta de 5,6%, a US$ 1,031 trilhão, no segundo trimestre. A estimativa anterior era de aumento de 7,5%. De janeiro a março, os lucros saltaram 16,6%.

 

Preços

 

O índice de preços dos gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) nos EUA subiu 1,4% no segundo trimestre. No primeiro trimestre, o índice caiu 1,5%.

 

O núcleo do PCE, que exclui alimentos e energia, subiu 2,0% no segundo trimestre, dado não revisado em relação à estimativa anterior, após alta de 1,1% no primeiro trimestre. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
PIBEUAtrimestre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.