PIB fraco favorece dólar acima de R$ 2,10 e novo corte na Selic, diz BBH

Consultoria aponta que crescimento no 3º tri foi pressionado pelo fraco desempenho da indústria e das exportações, além da baixa taxa de investimento 

Álvaro Campos, da Agência Estado,

30 de novembro de 2012 | 14h17

SÃO PAULO - O fraco desempenho da economia brasileira no terceiro trimestre aumenta as expectativas de que o dólar vai continuar tentando avançar acima de R$ 2,10 e pode alimentar as pressões para um novo corte na taxa Selic. A análise é da consultora Brown Brothers Harriman (BBH), em relatório enviado a clientes

"No Brasil, a fraca leitura do PIB divulgada hoje vai somente agravar as incertezas em relação às políticas macroeconômicas", diz a consultora, apontando que o crescimento no terceiro trimestre foi pressionado pelo fraco desempenho da indústria e das exportações, além da baixa taxa de investimento, que ofuscaram os ganhos nos gastos do governo e dos consumidores.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou hoje que o PIB registrou aumento de 0,60% no terceiro trimestre ante o segundo trimestre do ano. O resultado veio abaixo do piso das estimativas dos analistas consultados pelo AE Projeções (de 0,90% a 1,40%). Na comparação com o terceiro trimestre de 2011, o PIB apresentou alta de 0,90%, também abaixo do piso das estimativas (de 1,10% a 2,12%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.