PIB paulista está concentrado em 17% do Estado

A riqueza de São Paulo está concentrada em uma área que ocupa 17% do Estado. O dado foi divulgado hoje no estudo "Reflexões e Perspectivas para o Desenvolvimento Paulista", realizado pela Unicamp e a Fundação Prefeito Faria Lima a pedido da Assembléia Legislativa. De acordo com o trabalho, que faz um diagnóstico do desenvolvimento paulista, 83% do PIB estadual estão concentrados por apenas 100 dos 645 municípios paulistas. Só a região metropolitana de São Paulo responde por 50% do PIB paulista. A concentração do PIB está na região denominada pelo estudo de Complexo Metropolitano Expandido (CME), formado pela região metropolitana de São Paulo, o entorno imediato e as regiões de Campinas, Sorocaba, Vale do Paraíba e Baixada Santista. O CME é formado por 42 mil quilômetros quadrados e mais de 26 milhões de habitantes, ou seja, 70% da população estadual e mais de 15% do total do Brasil. De acordo com o professor Rinaldo Fonseca, do Núcleo de Estudos Econômicos, Sociais e Urbanos, uma das saídas para desenvolver mais o Estado são os arranjos produtivos locais, grupos de empresas voltadas para o mesmo setor, conforme as vantagens e as características de cada região. O estado já identificou 31 arranjos produtivos, que vão desde calçados até flores, passando por aviões. Fonseca lembrou que São Paulo representa 35% do PIB brasileiro e 22% da população nacional. O estudo mostrou ainda que o agronegócio paulista representa 33% do total brasileiro e é uma importante base para a exportação. Segundo a pesquisa, a cana-de-açúcar é a principal atividade agropecuária do Estado, com 45% de toda a área cultivada. O trabalho mostrou que nos últimos anos outras culturas não tradicionais passaram a ocupar espaço, como cultivo de frutas, flores, sorgo e girassol.

Agencia Estado,

18 Março 2004 | 15h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.