Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

PIB paulista somou R$ 727 bi em 2005, alta de 3,6%

O Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de São Paulo somou R$ 727,05 bilhões em 2005, mantendo o Estado no topo do ranking nacional, informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O PIB paulista cresceu 3,6% em 2005, expansão maior do que a apurada para o PIB do Brasil, de 3,2%. A participação do Estado no PIB nacional subiu de 33,1% em 2004 para 33,9% em 2005, um acréscimo de 0,8 ponto porcentual, que equivale a R$ 17,2 bilhões a mais gerados na economia do Estado, em 2005, em relação ao ano anterior.Com o aumento de participação, o Estado garantiu também o segundo lugar no ranking do PIB per capita nacional, com R$ 17.977 em 2005, perdendo apenas para o Distrito Federal (R$ 34.510).O gerente de contas regionais do IBGE, Frederico Cunha, explicou que a elevação de São Paulo no ranking nacional do PIB per capita (tradicionalmente o Estado estava no terceiro lugar, abaixo do Rio de Janeiro, que agora figura na terceira posição) está diretamente relacionada ao ganho de participação paulista no total do PIB do País, em conseqüência da introdução da nova série de cálculo do indicador.Antes, a base de referência para o cálculo do PIB regional era 1985 e agora é 2002, com a incorporação de novas pesquisas como base de sustentação do cálculo, como já ocorreu com o PIB nacional.Segundo Cunha, o ganho de participação de São Paulo (na série anterior, o Estado tinha 30,9% do PIB brasileiro em 2004 e, na nova série, tinha 33,1% no mesmo ano) "reflete a nova estrutura econômica brasileira, onde os setores produtores de bens têm queda de participação e o setor de serviços mostra uma maior predominância".A influência do setor de serviços no novo ranking dos Estados foi tal que o Distrito Federal - onde 94% da economia está no setor de serviços - elevou a sua participação no PIB nacional, em 2004, de 2,5% de acordo com a série antiga para 3,7% na nova série. No caso de 2005, não há comparação com a série anterior porque o cálculo foi realizado já com a nova base de dados do IBGE.

JACQUELINE FARID, Agencia Estado

26 de novembro de 2007 | 13h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.