Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

PIB revisado dos EUA aponta alta de 2,8% no trimestre

O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos no quarto trimestre do ano passado foi revisado para 2,8%, em vez dos 3,2% previstos anteriormente, informou hoje o Departamento de Comércio do país. O resultado contrariou as expectativas dos economistas, que esperavam que a expansão fosse revisada para 3,3%.

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

25 de fevereiro de 2011 | 11h01

Os gastos dos consumidores durante a temporada de compras de novembro e dezembro foram fortes, mas abaixo do calculado originalmente. O dado foi revisado para alta de 4,1%, ante o aumento de 4,4%. Ainda assim, essa foi a taxa mais forte de aumento nos gastos nos últimos quatro anos. Os gastos dos consumidores correspondem a 70% do PIB dos EUA.

Já os gastos do governo federal caíram 0,2% no quarto trimestre, enquanto os gastos dos governos locais e estaduais diminuíram 2,4%. As importações recuaram menos que o estimado anteriormente, depois que os dados sobre o comércio entre os EUA e Porto Rico foram atualizados. A mudança mais do que contrabalançou a revisão para cima nas exportações, que aumentaram 9,6% no quarto trimestre, em comparação com o cálculo anterior de 8,5%. O Departamento de Comércio vai divulgar a terceira e última estimativa para o PIB do quarto trimestre em 25 de março.

Gastos com consumo

O índice de preços para gastos com consumo pessoal (PCE, na sigla em inglês), excluindo alimentos e energia, subiu à taxa anualizada de 0,5% no quarto trimestre, o mesmo nível dos três meses anteriores, informou o Departamento do Comércio. O índice PCE cheio avançou 1,8% no quarto trimestre, após aumentar 0,8% no terceiro trimestre. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
PIBrevisãoEUAgastosconsumidores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.