Mike Segar/Reuters
Mike Segar/Reuters

PIB será afetado se governo não encerrar greve, alerta Moody's

Diretor da agência de classificação de risco avalia que manutenção da greve vai piorar clima social e político no Brasil

Ricardo Leopoldo, correspondente, O Estado de S.Paulo

28 Maio 2018 | 14h02

NOVA YORK - Caso a greve dos caminhoneiros avance por algumas semanas, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil no segundo trimestre pode ser afetado, comentou ao Broadcast Alfredo Coutino, diretor para a América Latina da Moody´s Analytics.

"Se a volatilidade nos mercados financeiros piorar nos próximos dias devido às incertezas trazidas a consumidores e investidores com a paralisação, o câmbio depreciará e atingirá a inflação", ponderou. Na semana passada, a Bolsa brasileira acumulou queda de 5,04%, pior resultado desde o caso JBS.

+ Greve de caminhoneiros segue no foco e Bolsa cai mais de 3%

Para Coutino, o clima social e político no Brasil pode deteriorar se o governo não for capaz de encerrar a greve logo, inclusive porque há o contexto das eleições presidenciais deste ano. "O prolongado bloqueio provocou insatisfação e agitação popular, o que impõe uma ameaça à atividade da economia", ressaltou.

+ Guardia diz que do ponto de vista fiscal, programa de subvenção não traz risco para meta fiscal

Alfredo Coutino, contudo, ressalta que há um cenário favorável para a economia do Brasil e estima que o PIB subirá 2,3% neste ano. Para ele, a inflação ainda está bem baixa, devido ao grande hiato do produto causado pela recessão de 2015 e 2016. Ele acredita que o Banco Central manterá a taxa Selic em 6,50% ao ano até dezembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.