PIB subirá em 2009 e entrará em 2010 bombando, diz Bernardo

Ministro acredita em crescimento próximo a 0,5%, número inferior à projeção do governo, de 1%

Renata Veríssimo, AGÊNCIA ESTADO

10 de dezembro de 2009 | 10h56

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou que acredita no crescimento do PIB em 2009, apesar de os dados divulgados hoje pelo IBGE ainda indicarem uma queda de 1,0% no acumulado de 12 meses. "Vamos ter um desempenho positivo este ano, embora comece a duvidar de que vai dar 1% (previsão oficial do governo). Acho que vai ficar perto de 0,5%", disse o ministro à Agência Estado.

 

VEJA TAMBÉM:
PIB cresce 1,3% no 3º trimestre
IBGE revisa resultados trimestrais do PIB
José Paulo Kupfer: Resultado do PIB derruba fatalidade da alta de juros

Bernardo destacou o crescimento do consumo das famílias - alta de 2,0% no terceiro trimestre ante o segundo e de 3,9% ante o terceiro trimestre de 2008 - que continua sustentando a economia. Para ele, os dados do IBGE mostram que o País está colhendo os frutos do trabalho realizado antes da crise financeira, que levou ao aumento do poder aquisitivo da população e ao crescimento da classe média. "Isso está dando sustentação à economia hoje", analisou o ministro.

 

Ele também destacou o aumento do consumo do governo - alta de 0,5% no terceiro trimestre ante o segundo e de 1,6% ante o terceiro trimestre de 2008. "É bom para desarmar esses alarmistas que dizem que vamos estrangular o crescimento com consumo do governo. Claramente isso não é verdade."

 

 

Paulo Bernardo afirmou que é preciso agora se preocupar com os investimentos que ainda estão com desempenho modesto, apesar de os dados recentes mostrarem uma recuperação. "Ainda vamos precisar ter muito investimento. Acho que o governo acertou em cheio ao prorrogar o Programa de Sustentação do Investimento (PSI) do BNDES", disse. Esse programa tem linhas de financiamento para bens de capital, exportação e inovação tecnológica, com subsídio do Tesouro Nacional.

 

Bernardo avaliou também que os dados do IBGE mostram que houve claramente uma redução dos estoques da indústria. Para o ministro, os ajustes nos estoques e o consumo em alta vão levar a indústria a produzir mais em 2010 para atender à demanda. "Isso vai beneficiar o emprego, que é um dos dados bons deste ano", afirmou. Ele lembrou que, ontem, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou que serão gerados este ano 1,3 milhão de empregos formais. "Os dados da indústria e do consumo dão expectativa de que vamos entrar 2010 criando emprego."

 

O ministro ainda avaliou que o crescimento de 1,3% no PIB no terceiro trimestre, em relação ao segundo trimestre, veio abaixo das expectativas dos analistas e do governo devido à revisão dos dados de 2008. Para ele, essa mudança na base de comparação dificultou o trabalho dos analistas. "Porém o mais importante é que mantivemos o crescimento econômico nos últimos dois trimestres. O desempenho está bom e vamos entrar 2010 'bombando'. A economia está muito boa", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
BernardoPIB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.