Pilotos da Varig pedem demissão de presidente da Fundação Aerus

A Associação dos Pilotos da Varig (Apvar) quer destituir o diretor de recursos humanos da Varig, Odilon Junqueira, da presidência do Fundação Aerus, fundo de pensão que congrega os funcionários das companhias aéreas. A alegação é que haveria "conflito de interesses", já que a Varig é devedora do fundo de pensão e não estaria cumprindo os compromissos, conforme o presidente da Apvar, Flávio Souza.Na avaliação de Mizael Vaz, ex-presidente da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Privada (Abrapp), que está atuando como consultor da Apvar na disputa com a Varig e que presidiu o Aerus durante 25 dias, o passivo da Varig com o fundo de pensão seria de R$ 1,86 bilhão, dos quais R$ 1,08 bilhão reconhecidos no balanço d empresa e outros R$ 730 milhões "ocultos".Em reunião do Conselho Deliberativo do Aerus realizada na semana passada, a Varig conseguiu alterar a obrigatoriedade dos compromissos com o fundo de pensão, que poderá ser reduzida a zero, o que poderia inviabilizar o fundo, na avaliação de Souza. "Na situação atual, uma mesma pessoa está ocupando a posição de devedor e de credor, o que é contraditório", criticou Souza.Vaz considera que a Secretaria de Previdência Complementar (SPC), órgão do Ministério da Previdência, tem a "obrigação" de analisar a situação do fundo Aerus, "até para aferir se as denúncias procedem". Ele disse que o futuro do Aerus poderá estar comprometido caso não sejam equacionadas as dívidas das patrocinadoras com o fundo de pensão. "O Aerus já foi muito prejudicado quando aceitaram a volta da Transbrasil como patrocinadora sem que a empresa contribuísse para a fundação", disse Vaz.

Agencia Estado,

12 de setembro de 2002 | 20h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.