Epitácio Pessoa/AE
Epitácio Pessoa/AE

Pilotos e comissários de voo entram em estado de greve contra reforma trabalhista

A categoria se opõe às regras sobre o trabalho intermitente, que permitiria a contratação de profissionais por períodos esporádicos

Natália Oliveira, especial para AE, Broadcast

24 de abril de 2017 | 19h28

SÃO PAULO - Pilotos e comissários de voo decidiram entrar em estado de greve em assembleia realizada nesta segunda-feira, 24, a fim de pressionar o governo a fazer mudanças no texto da reforma trabalhista. De acordo com informações da Agência Brasil, a categoria se opõe às regras sobre o trabalho intermitente, que permitiria a contratação de profissionais por períodos esporádicos.

Segundo o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), como as empresas aéreas têm períodos de altos e baixos na demanda, os trabalhadores acabariam sendo dispensados em baixa temporada e recontratados apenas na alta.

O presidente do sindicato, Rodrigo Spader, afirma ainda que a medida proposta pela reforma pode prejudicar a segurança do transporte aéreo. Para Spader, os pilotos e comissários precisam de um trabalho de aperfeiçoamento constante para manutenção de habilidades técnicas. A categoria critica ainda o trecho da reforma que autoriza demissão por justa causa no caso de perda de licença ou certificados.

Representantes dos aeronautas devem se reunir até a próxima quinta-feira, 27, com o deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), relator do projeto, e com outros parlamentares para sugerir emendas ao texto. Uma nova assembleia da categoria está agendada para o mesmo dia, quando os profissionais vão decidir pela paralisação das atividades ou pelo fim do movimento.

Mais conteúdo sobre:
SÃO PAULORogério Marinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.