Pimentel: Brasil precisa defender câmbio sem inflação

O governo brasileiro está tentando defender os níveis do câmbio que ajuda a competitividade das indústrias locais sem afetar a inflação, disse nesta sexta-feira o ministro de Comércio Exterior, Fernando Pimentel.

PATRÍCIA BRAGA, Agencia Estado

23 de março de 2012 | 17h52

Segundo o ministro, embora não exista um "número mágico" para a taxa de câmbio do país, o governo está monitorando os níveis entre R$ 1,50 e R$ 2 reais por dólar como a melhor "taxa de equilíbrio" para ajudar as empresas enquanto mantém a pressão dos preços.

Pimentel também falou que o governo poderia continuar a estimular a competitividade brasileira por meio de incentivos locais e restrição do comércio desleal do exterior. "Precisamos defender o mercado brasileiro sem fechar a economia", disse. As medidas do governo têm como meta apenas as "práticas fraudulentas e injustas", completou.

Recentemente, o governo brasileiro adotou medidas para desacelerar a entrada de capital de curto prazo de portfólio de investimentos que ajuda a fortalecer a moeda do País, e o BC comprou dólares no mercado local para manter a moeda acima do nível de R$ 1,80 por dólar. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
Pimentelcâmbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.