Pimentel nega pacote, mas diz que serão anunciadas medidas para a indústria

Ministro disse esperar que País ‘vire o jogo’ da produção industrial e que o governo está atento à crise internacional

Rafael Moraes Moura, da Agência Estado,

31 de julho de 2012 | 18h06

BRASÍLIA - O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, disse hoje que o governo não prepara um "pacote" para socorrer a indústria nacional, mas disse que serão anunciadas medidas. Questionado pela Agência Estado se o Brasil vai "virar o jogo" da produção industrial, o ministro respondeu: "É o que a gente espera. Não tem pacote, o governo brasileiro está atento à crise internacional, tem sempre colocado medidas importantes. Às vezes, demora um pouco para fazer efeito, mas estamos otimistas e esse segundo semestre vai ser muito melhor que o primeiro. Temos certeza que a economia brasileira já está reagindo."

O ministro depois confirmou que estão sendo preparadas medidas, mas não quis detalhá-las. "Não vamos antecipar", afirmou.

Pimentel comemorou a entrada da Venezuela no Mercosul, oficializada em reunião de Cúpula do bloco que ocorre em Brasília. "Temos a melhor expectativa com essa entrada da Venezuela no Mercosul. Nossa balança comercial com a Venezuela é muito positiva para o Brasil, fortalece muito o bloco econômico como disse a presidenta. Com a entrada da Venezuela, somos a quinta economia do mundo", disse o ministro.

De acordo com Pimentel, o Brasil deverá enviar uma missão comercial para a Venezuela no mês de agosto - da qual a Petrobrás fará parte - com o objetivo de conhecer melhor as oportunidades daquele país. "As perspectivas são muito boas".

Mais conteúdo sobre:
IndústriaPimentelmedidas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.