AP
AP

Pinguins fazem festa na Bolsa de Nova York

Mascote da SeaWorld Entretenimento foi levado para festa de lançamento de ações

AP,

19 de abril de 2013 | 13h31

NOVA YORK - Uma visita inusitada chamou a atenção Bolsa de Nova York. Para marcar a sua estreia na bolsa, a empresa SeaWorld Entretenimento levou alguns pinguins para a festa da sua oferta pública inicial de ações.

A empresa é conhecida por oferecer diversão para a família em  um parque temático com pinguins e baleias em Orlando, na Flórida. O pinguim Puck é o seu novo personagem.

A oferta é uma das maiores dos últimos meses. O pinguin deu sorte. A empresa levantou US$ 702 milhões e a empresa está avaliada agora em US$ 2,5 bilhões.

Em 2009, a SeaWorld foi comprada pela Blackstone por cerca de US$ 2,3 bilhões. Ela surgiu como uma divisão da Anheuser-Busch, hoje pertencente à Inbev.

Depois de investir US$ 1 bilhão na empresa e receber dividendos de US$ 500 milhões no ano passado, a Blackstone informou que pretende manter o controle da SeaWorld em suas mãos

na oferta pública.

Em tempos de crise, a SeaWorld é uma empresa vulnerável. Com a economia fraca, os consumidores gastam menos com entretenimento.

Para complicar, um treinador foi morto por uma baleia no parque temático de Orlando, em 2010, na frente de centenas de visitantes. O incidente virou filme que deve estrear este ano.

Ao decidir apostar na imagem do pinguim a empresa levou dois animais para o seu escritório em janeiro deste ano. Como não estavam bem treinados, deixaram presentes inesperados nos tapetes da companhia. Na bolsa de balores os pinguis foram mais comportados e divertiram os operadores presentes sem maiores estrepulias.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.