Pioneer anuncia demissão de 10 mil

Empresa japonesa irá se retirar do mercado de Tvs de tela plana e deve fechar ano fiscal no vermelho

Efe,

12 de fevereiro de 2009 | 06h39

A empresa japonesa de eletrônica Pioneer anunciou nesta quinta-feira, 12, que cortará dez mil empregos no mundo todo, seis mil deles fixos, e que se retirará do mercado de TVs de tela plana devido à crise econômica. Veja também:Bolsas asiáticas encerram pregão em baixa De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise   A Pioneer é a última companhia japonesa a anunciar cortes de milhares de empregos no mundo todo, depois que fizessem o mesmo Sony (16 mil), NEC (20 mil) e Nissan (20 mil), assim como diminuição na produção. A empresa revisou para baixo sua expectativa para o ano fiscal que termina em março e prevê registrar prejuízo líquido de 130 bilhões de ienes (US$ 1,443 bilhão) frente aos 78 bilhões de ienes (US$ 866 milhões) que calculava em outubro. Para fazer frente à crise, a Pioneer diz querer se "transformar em uma empresa centrada no negócio da eletrônica para automóveis". Por isso, deixará de produzir, pelo menos até março de 2010, televisão com tela de plasma, divisão que era deficitária, e também de desenvolver produtos de uso doméstico. Fora isso, a Pioneer decidiu parar de pagar bônus a executivos e cortar entre 20% e 50% seus salários até março de 2011. Segundo a agência de notícias Kyodo, será o quinto ano consecutivo que a Pioneer registrará números vermelhos, devido, sobretudo, à valorização do iene e à queda nas vendas causada pela crise.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.