''Pirâmide'' dá prejuízo a investidores em MG

Mais um golpe conhecido como pirâmide - em que vários investidores aplicam dinheiro em um fundo e são estimulados a apresentar novos investidores com a promessa de que, quanto maior o grupo, maior o ganho - foi identificado em Minas Gerais. O novo golpe pode envolver prejuízos de mais de R$ 50 milhões.

, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2010 | 00h00

O empresário Thales Emanuelle Maioline é suspeito de ter aplicado o golpe em 2 mil investidores de 12 cidades mineiras. Segundo a Polícia, há pessoas que venderam até carros e casas para investir no fundo, que prometia rentabilidade de 5% a 6% ao mês, mais bônus de até 30% para quem não mexesse na aplicação durante seis meses. A poupança rende menos de 1% ao mês.

A empresa que oferecia os ganhos extraordinários e fora da realidade do mercado financeiro é identificada como Firv Consultoria e Administração de Recursos Financeiros e é apresentada em uma página de um site de relacionamento como um clube de investimento.

O golpe teria sido descoberto recentemente, após um investidor ter solicitado o resgate de R$ 3 milhões que teria aplicado. Maioline criou obstáculos à devolução do dinheiro e, na sexta-feira da semana passada, desapareceu. Há informações de que ele teria fugido para São Paulo e está sendo procurado pela Polícia local.

O empresário usava o dinheiro dos investidores mais novos para cobrir o rendimento dos mais antigos. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que regula os fundos de renda variável, divulgou, apenas na última segunda-feira, alerta contra a empresa, que não tem autorização para atuar no setor.

No escritório da Firv, em Belo Horizonte, funcionários passaram os últimos dias recebendo clientes em busca de informações. Segundo o delegado de combate a fraudes, Anselmo Gusmão, a irmã de Maioline, Ianny, e Oséias Ventura, sócios dele na Firv, prestaram depoimento na quinta-feira e disseram que também foram enganados e perderam dinheiro.

No fim do ano passado, Bernard Madoff, operador renomado de Wall Street e fundador da Bernard L. Madoff Investment Securities LLC, foi preso acusado de estar por trás de um esquema multibilionário e fraudulento de pirâmide financeira conhecido como Ponzi. Os prejuízos nesse caso são estimados em cerca de US$ 65 bilhões. A polícia americana registrou até casos de suicídio entre poupadores que perderam dinheiro.

A CVM, a Polícia e vários sites brasileiros têm alertado investidores a tomarem cuidado com promessas de dinheiro fácil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.