Covid-19

Bill Gates tem um plano para levar a cura do coronavírus ao mundo todo

Pirelli demite 10 e 2,3 mil trabalhadores entram em greve

Empresa e sindicato se reúnem nesta segunda para discutir propostas que serão votadas em assembleia

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

23 de março de 2009 | 11h52

Aproximadamente 2,3 mil funcionários da fábrica de pneus Pirelli entraram em greve por tempo indeterminado no último sábado (dia 21), após a empresa demitir 10 de seus funcionários, contrariando negociações com o sindicato da categoria.

 

Veja também:

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise  

De acordo com o Sindicato dos Borracheiros de São Paulo (Sintrabor), a empresa estava em negociações com o sindicato para encontrar soluções que evitassem demissões na fábrica, quando os trabalhadores foram surpreendidos com as 10 demissões. As operações foram paralisadas na noite do último sábado, após assembleia.

De acordo com o presidente do sindicato, Teresinho Martins da Rocha, a empresa negociava entre outras medidas, uma redução na jornada de trabalho, mas se recusou a garantir estabilidade aos funcionários. Ainda segundo ele, na manhã de hoje, representantes da Pirelli e do Sintrabor reuniram-se para discutir propostas que serão avaliadas durante assembleia a ser realizada na tarde desta segunda-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise FinanceiraEmpregoEmpresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.