Pirelli inaugura segunda fábrica de pneus na China

A Pirelli inaugurou esta semana sua segunda planta industrial na China, na província de Xangdong. A unidade, que recebeu investimentos de quase US$ 100 milhões, terá capacidade para produzir inicialmente 3 milhões de unidades, toda ela destinada ao país e aos principais mercados na região Ásia-Pacífico. A fábrica, que tem 1 mil funcionários, ocupa uma área de 70 mil metros quadrados e poderá abrigar uma expansão da produção para até 10 milhões de unidades/ano.A inauguração da fábrica de pneus para automóveis marca o início da segunda fase do plano de expansão do grupo na China, um dos mercados mundiais de referência para montadoras e fabricantes de pneus. A nova planta de Yanzhou, foi projetada para produzir pneus de média a alta performance.A nova fábrica fica ao lado da unidade de pneus radiais para caminhões, inaugurada no segundo semestre de 2005, com uma capacidade potencial para mais de 1 milhão de unidades. O complexo industrial de duas plantas de alta capacidade e tecnologia avançada vai servir como um importante centro de produção, logística e comercialização para todo o Extremo Oriente. Durante os últimos três anos, a Pirelli investiu um total de US$ 200 milhões na realização deste projeto.A previsão da empresa é de que nos próximos quatro anos, o crescimento no mercado local de pneus será movido pelo aumento expressivo da demanda por novos carros, resultante da combinação de vários fatores. Entre eles está o crescimento do PIB (estimado em cerca de 10% ao ano entre 2008 e 2010), a melhor qualidade de vida alcançada por grande parte da população, a melhor infra-estrutura rodoviária e ainda a tendência de preços mais baixos devido à maior concorrência e inovação tecnológica.A estratégia de crescimento da Pirelli no mercado local também inclui o fortalecimento da rede de distribuidores, que deve atingir o total de mais de 1 mil pontos de venda (dos quais cerca de 2/3 serão exclusivos da marca) até o final de 2008. Atualmente a Pirelli conta com 25 fábricas em 12 países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.