Piva defende transformação do ICMS em IVA

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Horacio Lafer Piva, defendeu hoje a unificação e transformação do ICMS em um Imposto sobre Valor Agregado (IVA) cobrado no Estado de destino. Manifestou ainda preferência para que a cobrança da contribuição previdenciária seja feita de acordo com o recolhimento do novo imposto e não mais sobre a folha de pagamento, como é hoje, ou sobre o faturamento das empresas, como proposto por alguns setores."O nosso projeto inicial é o da criação de um IVA. É a solução definitiva", disse. "Inclusive é uma forma de também resolver parte do problema da Previdência, na medida em que coloca a contribuição sobre o IVA, e não sobre a folha e o faturamento, que geram (contribuição em) cascata", complementou. Piva argumentou que pela proposta vincular a contribuição previdenciária à uma mudança de imposto, as duas reformas estruturais são entrelaçadas.O presidente da Fiesp sabe, porém, que essa discussão desagrada o governo paulista. "Como estado exportador, acaba não gostando muito da idéia de aprovar um IVA-destino, porque perderia muitos recursos, embora isso tivesse sido aprovado pelo governador Mário Covas lá atrás", lembrou.Piva classificou de "muito positivo" que os governadores tenham se reunido com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Desta vez, o interesse da sociedade foi bem mais forte do que a ideologia, de maneira que essa discussão dos pontos de consenso, da questão da unificação do ICMS e de outras tiveram avanços inegáveis. Depois de ouvir a respeito dessa reunião de sexta e de sábado estou mais otimista com a possibilidade de conseguirmos fazer as reformas previdenciária e tributária", disse.Veja o índice de notícias sobre a reunião de Lula com os governadores

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.