Piva pede equipe e agenda mínima do presidente eleito

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Horácio Lafer Piva, disse nesta terça-feira que a gravidade da crise deverá impedir que o novo presidente da República exercite o ?idealismo? de apenas indicar a equipe de governo na posse. ?O idealismo será atropelado pela gravidade da situação?, comentou Piva após a cerimônia de posse da nova diretoria da Confederação Nacional da Indústria (CNI).Em sua avaliação, após as eleições não será suficiente que o novo presidente indique rapidamente a equipe econômica, ele terá que definir também uma agenda mínima de governo e apresentar uma coalizão que o sustente no Congresso. Com esses gestos, segundo ele, ?pode-se ter um alívio muito grande? na batalha das expectativas com os agentes econômicos.Piva avaliou que as medidas de contenção do crédito adotada pelo Banco Central não devem ter o efeito esperado. ?Não se combate crise de confiança com política monetária?, afirmou. Em sua opinião, o Banco Central tem outros instrumentos para usar, como a redução das exposições dos bancos em operações cambiais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.