Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Planalto confirma Paulo Rabello de Castro para presidência do BNDES

Interlocutores do governo afirmaram que, em meio à crise política, era preciso escolher um sucessor para Maria Silvia Bastos o mais rápido possível para evitar um desgaste com o mercado financeiro

Carla Araújo e Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2017 | 19h09

O presidente da Republica, Michel Temer, anunciou nesta sexta-feira, 27, que convidou o economista Paulo Rabello Castro, atualmente presidente do IBGE, para substituir Maria Silvia Bastos no comando do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). "Castro aceitou o convite e começará seu trabalho na instituição já na próxima semana", diz nota divulgada há pouco pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

Interlocutores do Planalto reconheceram que, em meio à crise política, era preciso escolher um sucessor o mais rápido possível para evitar um desgaste com o mercado financeiro. Auxiliares de Temer admitem que a saída da presidente do BNDES neste momento "é uma baixa importante". Logo após o anúncio da demissão, Temer reuniu-se com os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira.

No Planalto, assessores do presidente ressaltam que Maria Silvia "já fez o trabalho mais pesado" no BNDES, reorganizando o banco desde que assumiu o cargo, há um ano. Neste momento, o Planalto salienta que o norte dado ao BNDES não mudará. "A linha do BNDES está dada. O movimento mais difícil já foi feito e todos os outros braços econômicos importantes continuam trabalhando", justificou um auxiliar do presidente.

ANÁLISE: GESTÃO DE MARIA SILVIA FOI MARCADA POR EMBATE COM FUNCIONÁRIOS E EMPRESAS

Além de o impacto na demissão de Maria Silvia, a notícia de que a agência de classificação de risco Moody's rebaixou a perspectiva do rating do Brasil de estável para negativa abateu o governo, que tentava emplacar uma agenda positiva, apostando as fichas que na semana que vem conseguiria retomar a confiança do mercado durante o Fórum de Investimentos Brasil 2017, em São Paulo.

A presidente do BNDES seria uma das palestrantes e, até o momento, o Planalto diz que ainda não sabe quem vai substitui-la no painel. Mas assegura que há "gente graúda" do mercado confirmando presença e há 1.400 inscritos para participar do encontro.

Questionado pela reportagem se comentaria o rebaixamento da perspectiva do Brasil, a assessoria de imprensa do Planalto informou que "o posicionamento do governo foi feito pelo Ministério da Fazenda por meio de nota". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.