finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Planalto insistirá na votação da MP do Portos, diz Ideli

Apesar da derrota do governo na noite de ontem com o adiamento da votação da MP do Portos na Câmara, a ordem no Palácio do Planalto é insistir na discussão até o prazo final da vigência da proposta. A MP expira na próxima quinta-feira, dia 16, e é uma das apostas do governo para destravar o setor portuário.

ERICH DECAT, Agencia Estado

09 de maio de 2013 | 09h00

Depois da Câmara, a proposta ainda precisa ser discutida pelo Senado para, então, seguir para a sanção da presidente Dilma Rousseff. Com o adiamento de ontem, o governo terá apenas a próxima semana para votar nas duas Casas. Ainda dá tempo. Não acredito que nesta semana tenha clima, mas semana que vem tem segunda, terça, quarta e quinta ", disse ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti.

No momento da votação no plenário da Câmara, a presidente Dilma Rousseff estava em um jantar oferecido no Palácio do Jaburu pelo vice-presidente da República, Michel Temer, e pela bancada do PMDB no Rio Grande do Sul. Ela, entretanto, foi informada constantemente por telefone por Ideli e pela ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, sobre o andamento das discussões e o desfecho desfavorável ao governo. "Ela Dilma continua na mesma posição de que a não votação é uma grande perda de oportunidade", afirmou Ideli.

Diante de um cenário desfavorável na Câmara, o governo já admite que ocorram mudanças no texto. Os ajustes de interesse do Planalto seriam feitos depois, por meio de vetos de Dilma. "Pode até não ser perfeito o texto, a melhor legislação, mas temos que votar", afirmou a ministra. Segundo ela, o governo não conta com a possibilidade de enviar outra proposta por meio de um projeto de lei, uma vez que as polêmicas em torno do tema poderiam se arrastar por meses.

Ao ser questionada sobre o bate-boca ocorrido no plenário noite de ontem, Ideli resumiu da seguinte forma: "Parece que a rádio corredor foi parar no alto-falante". As trocas de acusações foram protagonizadas pelos líderes do PR, Antonhy Garotinho (RJ), e do PMDB, Eduardo Cunha (RJ). Garotinho chegou a chamar o projeto de "MP dos porcos". De sua parte, Cunha pediu que o colega respondesse a um procedimento no Conselho de Ética da Casa.

Tudo o que sabemos sobre:
MP dos PortosIdeli

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.