Plano Brasil Maior deixou de implementar medidas

Entre as medidas não implementadas do Plano Brasil Maior estão a criação dos Fundos de Financiamento à Exportação (FFEX) e Garantidor do Comércio Exterior (FGCE) e a flexibilização das garantias exigidas pelo Programa de Financiamento à Exportação (Proex) para pequenas empresas. A expectativa do governo é que elas sejam executadas em 2014.

BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2013 | 02h04

O FFEX foi anunciado em agosto de 2011, na primeira fase da política industrial e de comércio exterior, com recursos iniciais de R$ 500 milhões. Ele seria uma nova fonte de recursos para financiamento à exportação das pequenas e médias empresas. O fundo também daria um alívio à demanda do Proex. No entanto, o Tesouro ainda não fez a capitalização.

O FGCE também enfrenta problemas orçamentários, porque o Tesouro terá de fazer um aporte, mas foi a demora na criação da Agência Brasileira Gestora de Fundos e Garantias (ABGF), que vai administrar o fundo, que atrasou o processo.

O presidente do Conselho de Administração da agência, Carlos Márcio Cozendey, disse que o novo fundo deve entrar em funcionamento no próximo ano. / R.V.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.